Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/07/17 às 16h21 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Testes rápidos na Rodoviária marcam Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais

COMPARTILHAR

Exames serão realizados, gratuitamente, até as 17h

BRASÍLIA (28/7/17) – Quem passar pela Rodoviária do Plano Piloto até as 17h desta sexta-feira (28) poderá realizar o teste rápido para detecção da hepatite C, em frente ao Centro de Testagem e Aconselhamento. Promovida em alusão ao Dia Mundial do Combate às Hepatites Virais, a campanha conhecida como “Julho Amarelo” é realizada pela Secretaria de Saúde em parceria com a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e a ONG Candangos da Paz. Para esta ação, foram disponibilizados mil testes rápidos.

Diana Azevedo, 44 anos, fez o teste que fica pronto em menos de cinco minutos. Ela trabalha como manicure em um dos salões de beleza da Rodoviária do Plano Piloto. “Para mim, é muito importante fazer esse exame porque eu trabalho com objetos perfurocortantes, como o alicate de unha. Atendo cerca de 12 clientes por dia. Como não tenho muito tempo para ir até uma unidade de saúde fazer o teste, quando vi o atendimento logo vim para saber como está minha saúde”, disse a profissional.

“Essa ação é para conscientizar a população sobre as hepatites virais. Nosso foco é identificar as pessoas infectadas pela Hepatite C, que estão principalmente entre aquelas com mais de 40 anos. Essa doença é silenciosa e, geralmente, é diagnosticada em estágio avançado”, alertou o infectologista do Programa de Hepatites Virais da Secretaria de Saúde e presidente do Comitê de Hepatites Virais da SBI, José David Urbaez.

Para quem nasceu entre 1945 e 1985, o alerta foi lançado após a constatação de que pessoas nascidas entre esses anos têm cinco vezes mais riscos de estarem contaminadas. Neste período, era comum o uso de seringas de vidro e transfusões de sangue não testadas para a hepatite C.

Quanto à hepatite B, o médico orienta quem ainda não se vacinou contra a doença procurar uma das Unidades Básicas de Saúde para se imunizar. Quanto ao tipo A, crianças até cinco anos também podem ser imunizadas.

DOENÇA – De acordo com o Ministério da Saúde, em 2016, o Brasil registrou 42.830 casos de hepatites virais. A pessoa infectada pode apresentar cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Porém, a doença é silenciosa e nem sempre apresenta sintomas. No Brasil, as hepatites virais mais comuns são os tipos A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E. Os danos mais graves podem ser cirrose e câncer.

Confira abaixo quais são as formas de contágio:

VÍRUS A/E: Contaminação fecal-oral, propiciada por condições precárias de saneamento básico e água, higiene pessoal e alimentos.

VÍRUS B/C/D: Transmissão sanguínea, que ocorre durante prática de sexo desprotegido, compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que perfuro cortantes. Há também a transmissão de mãe para o filho durante a gravidez, o parto e a amamentação.

Confira aqui as fotos.