Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/12/19 às 10h55 - Atualizado em 2/12/19 às 11h01

Unidades de saúde da Região Sudoeste encerram o Novembro Azul

COMPARTILHAR

 

 

Homens foram o foco das ações de saúde na última semana do mês

 

As unidades básicas de saúde (UBS) da Região Sudoeste intensificaram as ações do Novembro Azul no final do mês. Somente na última semana, as UBS 5 e 9 de Samambaia, 1 e 7 de Taguatinga, 8 e 11 do Recanto das Emas e a 1 de Águas Claras mobilizaram a população masculina para os cuidados com a saúde e a prevenção de doenças.

 

Em todas as unidades os homens puderem realizar aferição da pressão arterial, glicemia e receber o encaminhamento para o exame de PSA, antígeno específico que detecta alterações na próstata, usado para rastrear este tipo de câncer.

 

Na UBS 8 do Recanto das Emas, 60 homens receberam atendimento médico, encaminhamentos para exames, com avaliação individual pelo profissional de saúde.

 

“Esse momento especial para os homens é importante porque eles, geralmente, não vão à unidade. Só aparecem quando já estão doentes e não fazem os exames de rotina como a mulher. Aproveitamos para oferecer os serviços de imunização, para que pudessem completar seus sistemas de vacina. Vimos que a maioria saiu satisfeita com o atendimento”, relatou a enfermeira Eugênia Rodrigues do Nascimento.

 

A UBS 9 de Samambaia trabalhou a conscientização por meio de palestra, com foco na alimentação saudável como meio de prevenção de doenças crônicas, aproveitando a oportunidade para também falar do Novembro Azul e do diabetes.

 

Já na UBS 7 de Taguatinga, o tema da palestra foi a ‘Saúde do homem e o câncer de próstata’. Também foi oferecida consulta odontológica e cabeleireiro para o público masculino cuidar da beleza.

 

A UBS 1 de Águas Claras realizou uma roda de conversa chamada de ‘Papo de homem’. Os pacientes puderam esclarecer as dúvidas mais frequentes relacionadas à sua saúde e ao câncer de próstata, inclusive sobre a realização dos exames. Também foi abordado o tema da masculinidade tóxica e o preconceito em relação aos cuidados masculinos.

 

A maioria das unidades ofereceu café da manhã e Práticas Integrativas em Saúde disponíveis nos grupos de cada local.

 

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF