Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/05/20 às 17h19 - Atualizado em 27/05/20 às 17h25

HRSam, UPA de Samambaia e UBS do Riacho Fundo II recebem desinfecção contra a Covid-19

COMPARTILHAR

Foram sanitizadas as áreas internas e externas das três unidades de saúde

 

ÉRIKA BRAGANÇA, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

Fotos: Divulgação

Diariamente, vários pontos da rede pública têm passado por desinfecção. Nesta quarta-feira (27), foi a vez do Hospital Regional de Samambaia (HRSam), a Unidade de Pronto Atendimento Samambaia (UPA) e a Unidade Básica de Saúde (UBS) 01 do Riacho Fundo II receberem a equipe do Sanear-DF. Na atuação, agentes da Vigilância Ambiental realizam a desinfecção interna e externa das unidades. A estratégia faz parte do Plano de Enfrentamento à Covid-19 e serve para evitar o contágio ambiental por meio das superfícies.

 

A solução utilizada para o trabalho é feita com álcool 70% e hipoclorito. A desinfecção atua com produtos específicos para matar o vírus que pode ficar na superfície. De acordo com estudos recentes, o novo coronavírus pode sobreviver e permanecer capaz de contágio por períodos diferentes em superfícies diferentes.

 

O aço inoxidável e plástico chamaram atenção e, em análise, o vírus chegou a sobreviver por 72 horas (3 dias) nessas superfícies. Então, a exemplo do “fumacê”, os profissionais passam pelos locais com a bomba costal motorizada e ainda com o carro que realiza a lavagem dos locais públicos com maior circulação de pacientes. Toda a repartição recebe a visita dos profissionais.

 

Em sua rotina, as unidades possuem a limpeza feita pelas empresas. No entanto, a desinfecção feita pelo Sanear-DF vem com uma estratégia específica para pulverizar, inclusive, o ambiente.

 

De acordo com o diretor do Hospital Regional de Samambaia, Luciano Gomes, o processo traz mais segurança ao servidor e paciente. Segundo o gestor, é uma das ações que complementa os protocolos que a unidade já utiliza junto à Comissão da Covid-19 e ao Núcleo de Controle de Infecção Hospitalar (NCI).

 

“A equipe de controle da doença no hospital é integrada e concentra profissionais da Comissão da Covid-19, criada para dar suporte às diversas ações e mudanças que vierem acontecer sobre a doença, além de ajudar o NCI com os cursos e conhecimento que precisam passar aos profissionais”, informou Luciano Gomes.

 

Ainda segundo ele, além dos treinamentos, tem sido feitos testes rápidos nos profissionais que diariamente estão na linha de frente e precisam ser monitorados. “É um conjunto de ações que buscamos para trazer segurança à equipe e aos públicos que precisam circular na unidade”, afirmou.

 

Para conhecer o Plano de Enfrentamento à Covid-19 do DF e ações que o Governo do Distrito Federal está realizando, acesse aqui.

 

Leia também...