Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/03/17 às 16h12 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

Vítimas de violência sexual devem procurar unidades de saúde imediatamente

COMPARTILHAR

Demora no atendimento pode causar doenças sexuais e gravidez indesejada

BRASÍLIA (10/03/17) – O aumento no número de casos registrados, em 2016, de mulheres vítimas de estupro no DF que buscaram o Programa de Interrupção Gestacional previsto em lei, tem preocupado os profissionais do Programa de Pesquisa, Assistência e Vigilância à Violência (PAV), da Secretaria de Saúde. De 2010 a 2016, foram notificados mais de 15 mil casos de violência nas unidades do PAV em todo o DF. Em 2016, o balanço parcial chegou a 3.259; em 2015, os registros somaram 1.850.

Segundo levantamento deste ano, as violências mais notificadas foram a sexual (481), a física (370), a psicológica (295), a negligência e o abandono (237). O temor dos especialistas é que haja um aumento da incidência de doenças sexualmente transmissíveis e da gravidez indesejada nesse grupo – evitáveis se o atendimento emergencial na rede pública for procurado imediatamente.

“É muito importante que a mulher busque, o mais rápido possível, uma das 19 unidades do PAV no DF, onde vai receber a atenção prioritária de equipes especializadas, que prestarão suporte psicológico, social e os medicamentos necessários para profilaxia contra eventuais DSTs e a gravidez motivada por violência sexual”, alerta a psicóloga Fernanda Jota, chefe Nupav.

Ela informa que a vítima de violência sexual deve agir prontamente e buscar o apoio na rede pública sem perder tempo. “Muitas vezes a pessoa se sente constrangida em procurar o atendimento por vergonha, medo e um grande tristeza. Mas quanto antes for atendida melhor, pois os profissionais do PAV estão habilitados a proporcionar atendimento qualificado a esse tipo de situação”.

Quando um caso suspeito de violência é identificado, o profissional de saúde deve preencher uma ficha de notificação, conforme determinam o Estatuto da Criança e do Adolescente, o Estatuto do Idoso e a Lei nº 10.778, de 2003, que trata dos casos de violência contra mulheres atendidas em serviços de saúde públicos e privados. Notificar é uma forma de garantir o controle e a visibilidade das situações de violência, além de traçar um perfil de vítimas e de agressores e apontar estratégias eficazes de prevenção.

No Distrito Federal as unidades do PAV foram batizadas com nomes de flores. Veja abaixo os locais de atendimento:

 

Unidades do Programa de Prevenção e Atendimento às Pessoas em Situação de Violência no DF

CEILÂNDIA -Flor de Lotus

Hospital Regional de Ceilândia

QNM 27 Área Especial 1

GAMA – Gardênia

Hospital Regional do Gama

Setor Central EQ 47/49

GUARÁ – Primavera

Hospital Regional do Guará

Área Especial QI 6 – Guará I

NÚCLEO BANDEIRANTE -Alfazema

Centro de Saúde nº 2

Terceira Avenida – Área Especial 3

PARANOÁ – Girassol

Hospital da Região Leste

Setor Hospitalar, Quadra 2

PLANALTINA – Flor-de-Lis

Hospital Regional de Planaltina

Via W/L 4 – Área Especial – Setor Hosp. de Planaltina

PLANO PILOTO (Asa Sul) – Caliandra

Adolescentro

SGAS Quadra 605 Lote 32/33

PLANO PILOTO (Asa Sul) – Ipê

Hospital de Base do DF

Setor Médico-Hospitalar Sul, Quadra 101

PLANO PILOTO (Asa Sul) – Violeta

Hospital Materno-Infantil de Brasília

Setor de Grandes Áreas Sul , Quadra 608

PLANO PILOTO (Asa Norte) -Jasmim

Centro de Orientação Médico-Psicopedagógica

Quadra 501 Norte, Bloco B

PLANO PILOTO (Asa Norte) -Jasmim Margarida

Hospital Regional da Asa Norte

Setor Médico-Hospitalar Norte, Quadra 101

RECANTO DAS EMAS – Amarilis

Centro de Saúde nº 2

Quadra 102, Área Especial 1, Avenida Recanto

SANTA MARIA – Flor do Cerrado

Hospital Regional de Santa Maria

Quadra AC 102, Conjuntos A, B, C e D

SAMAMBAIA – Orquídea

Hospital Regional de Samambaia

QS 614, Conjunto C, Samambaia Sul

SÃO SEBASTIÃO – Tulipa

Centro de Saúde nº 1

Centro de Múltiplas Atividades, Conjunto 10

SOBRADINHO – Sempre-Viva

Hospital Regional de Sobradinho

Área Especial , Quadra 12, Conjunto D

TAGUATINGA -Azaléia

Hospital Regional de Taguatinga

Setor C Norte, Área Especial  24, Taguatinga Norte