Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/07/16 às 18h29 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Acidentes mataram quase cem pessoas no DF em 2013

COMPARTILHAR

Entre os principais estão os causados por veículos e quedas

BRASÍLIA (22/07/16) – Os acidentes correspondem às principais causas externas de morbidade e mortalidade em todo o país, que são aquelas causadas por fatores que não decorrem de problemas de saúde. Estes acidentes são considerados eventos passíveis de prevenção e englobam as quedas, o envenenamento, afogamento, queimaduras, acidente de trânsito, entre outros.

No ano de 2013, no DF, os acidentes foram responsáveis pelo óbito de 934 pessoas. Destes, 525 (56,1%) foram causados por acidentes de transporte, 256 (27,4%) por quedas e 153 (16,5%) por outros tipos de acidentes.

Os acidentes de transporte terrestre envolvendo pedestres, ocupantes de automóveis, veículos pesados e ônibus, motociclistas e ciclistas correspondem por 56,1% do total de mortes por acidentes. Os atropelamentos de pedestres corresponderam ao maior percentual (17,2%), seguidos pelo ocupante de automóvel (motorista ou passageiro), com 15,2%, e motociclista traumatizado, com 13,9%.

As quedas, incluídas as da própria altura ou de outros níveis, responderam por 27,4% do total. Das demais causas de mortes por acidentes destacam-se os afogamentos, com 30 óbitos, os envenenamentos, com 21 mortes, e o choque elétrico, com 19 mortes.

Do total das mortes em acidentes de transporte terrestre, 417 (79,4%) eram do sexo masculino e 111 (21,1%) do sexo feminino. Entre o sexo masculino predominaram as mortes por atropelamento, 123 (29,5%), e com motociclistas, 118 (28,3%). Já no sexo feminino as mortes ocorreram em ocupantes de automóveis (motoristas ou passageiros), 45 mortes (40,5%), seguido pelos atropelamentos, com 40 mortes (36%). Ocorreram ainda 12 mortes (10,8%) com motocicletas do sexo feminino.

“As causas externas por lesões de acidentes se configuram como problema de saúde pública por apresentar uma alta carga de morbimortalidade em todo o mundo. O Brasil segue a tendência mundial, especialmente em relação aos acidentes de transporte terrestre. No DF, observa-se que os homens jovens estão morrendo no trânsito e ainda apresentam discreto aumento quanto às demais causas de acidentes, no que se refere ao sexo feminino”, destaca a servidora Janilce Guedes, da Área Técnica de Prevenção de Acidentes.

Veja  aqui o relatório completo.