Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/03/14 às 21h15 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Acidentes por queda de própria altura lideram atendimentos do Samu

COMPARTILHAR

 

Estatísticas de acidentes registram 14.198 no total de atendimentos traumáticos

 

Dados do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência do Distrito Federal (Samu-DF) registram que, no ano passado, foram realizados 14.198 atendimentos traumáticos, como quedas, colisões, agressões e atropelamentos. Desse total, 2.087 se referem à queda de própria altura, o equivalente a 14,69%. Durante todo o ano, observa-se que esses acidentes ocuparam o primeiro lugar e ficaram à frente dos atendimentos que envolvem atropelamentos por carros e colisões entre veículos.

As quedas de própria altura ocorrem geralmente no ambiente doméstico, em especial, na cozinha e no banheiro. Pessoas acima de 60 anos são mais vulneráveis. O médico do Samu-DF, Flávio Campos, afirma que com a idade o indivíduo apresenta menor reflexo de defesa à queda, diminuição gradativa da massa muscular, menor densidade mineral óssea e aumento da probabilidade de doenças crônicas (pressão alta, diabetes e doenças neurológicas). “Esses fatores podem comprometer tanto a capacidade de equilíbrio quanto dificultar a recuperação”, explica.

Para evitar esses acidentes em casa, cuidadores e responsáveis devem seguir algumas recomendações a fim de proporcionar maior segurança ao idoso. “Não deixar tapetes soltos nos ambientes, manter uma boa iluminação, em especial no quarto onde o idoso dorme (para evitar que, ao levantar durante a noite, a pessoa caia e bata a cabeça em móveis)”, comenta Flávio.

Outra dica é instalar o suporte no box do banheiro para que o idoso possa se segurar, assim como evitar móveis com partes pontiagudas e pisos escorregadios. “Além disso, considero relevante observar os cuidados gerais de mobilidade, como entradas e saídas sem obstáculos”, complementa o médico.

Flávio Campos ressalta ainda que é fundamental o amparo afetivo ao idoso, cuidar de sua alimentação e hidratação, bem como ajudá-lo com a medicação. “Os remédios devem ser tomados nos horários corretos, pois muitas quedas são causadas por mal súbito, decorrente da falta de uma medicação de uso regular”, afirma.

A médica do Samu-DF, Kelle Ribeiro, orienta que no caso de encontrar um idoso caído, a primeira ação é pedir ajuda. “Seja um parente que esteja na casa ou qualquer outra pessoa que possa chamar o serviço de emergência 192”, diz. Nessas situações, recomenda-se tomar os cuidados abaixo:

1. Mantenha a calma;
2. Verifique se a pessoa respira, se está consciente e se responde;
3. Em caso negativo, começar imediatamente as manobras de reanimação, seguindo as orientações do médico regulador, até a chegada da ambulância;
4. Em caso positivo, responder com clareza as informações solicitadas pelo médico regulador, elas serão importantes para a manutenção da vida. Converse com o idoso, não o mova e peça que ele também não o faça até a chegada do socorro.

Por Patrícia Kavamoto, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9682-9226