Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/04/20 às 19h06 - Atualizado em 20/04/20 às 16h11

Alvará garante vistoria em imóveis que não recebiam ações da Dival

COMPARTILHAR

Seis, das oito residências vistoriadas, estavam abandonadas

 

Diariamente os agentes da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) percorrem todo o Distrito Federal para vistoriar residências e espaços públicos, com o objetivo de eliminar focos do mosquito Aedes aegypti – causador de doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela (urbana).

 

No entanto, há situações em que os moradores não permitem a entrada dos agentes. Em alguns casos, é necessário utilizar de um alvará judicial para que a inspeção seja realizada. Nesta sexta-feira (17), oito residências do Lago Norte, que há muito tempo não eram vistoriadas, receberam a visita dos agentes.

 

A ação da Secretaria de Saúde ocorreu em conjunto com a 9ª Delegacia de Polícia, administração regional e Corpo de Bombeiros. Seis casas estavam em situação de abandono e foi preciso que a polícia cortasse os cadeados para a realização da vistoria. Já nas outras duas, os moradores haviam recusado a entrada dos agentes durante inspeções anteriores. Somente um imóvel não tinha presença de larva do mosquito, nos demais foi necessário fazer o tratamento focal.

 

“É importante que as pessoas permitam a nossa entrada. Estamos tomando todos os cuidados em relação ao coronavírus em nossas inspeções, resguardando os moradores e os nossos agentes. Mas é preciso também contar com o apoio da população. Nossos agentes sempre andam uniformizados e com crachás de identificação da Secretaria de Saúde. Qualquer dúvida a população pode fazer contato pelo 160”, explicou o diretor da Vigilância Ambiental, Edgar Rodrigues.

 

A vigilância pretende realizar ação semelhante, nos próximos dias, no Lago Sul.

 

Texto: Johnny Braga e Cristina Soares, da Agência Saúde

Foto: Breno Esaki/Agência Saúde