Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/04/20 às 19h06 - Atualizado em 20/04/20 às 16h11

Alvará garante vistoria em imóveis que não recebiam ações da Dival

Seis, das oito residências vistoriadas, estavam abandonadas

 

Diariamente os agentes da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) percorrem todo o Distrito Federal para vistoriar residências e espaços públicos, com o objetivo de eliminar focos do mosquito Aedes aegypti – causador de doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela (urbana).

 

No entanto, há situações em que os moradores não permitem a entrada dos agentes. Em alguns casos, é necessário utilizar de um alvará judicial para que a inspeção seja realizada. Nesta sexta-feira (17), oito residências do Lago Norte, que há muito tempo não eram vistoriadas, receberam a visita dos agentes.

 

A ação da Secretaria de Saúde ocorreu em conjunto com a 9ª Delegacia de Polícia, administração regional e Corpo de Bombeiros. Seis casas estavam em situação de abandono e foi preciso que a polícia cortasse os cadeados para a realização da vistoria. Já nas outras duas, os moradores haviam recusado a entrada dos agentes durante inspeções anteriores. Somente um imóvel não tinha presença de larva do mosquito, nos demais foi necessário fazer o tratamento focal.

 

“É importante que as pessoas permitam a nossa entrada. Estamos tomando todos os cuidados em relação ao coronavírus em nossas inspeções, resguardando os moradores e os nossos agentes. Mas é preciso também contar com o apoio da população. Nossos agentes sempre andam uniformizados e com crachás de identificação da Secretaria de Saúde. Qualquer dúvida a população pode fazer contato pelo 160”, explicou o diretor da Vigilância Ambiental, Edgar Rodrigues.

 

A vigilância pretende realizar ação semelhante, nos próximos dias, no Lago Sul.

 

Texto: Johnny Braga e Cristina Soares, da Agência Saúde

Foto: Breno Esaki/Agência Saúde