Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/07/19 às 9h18 - Atualizado em 2/07/19 às 13h03

Arraiá dos Canguruzim muda rotina de mães de prematuros no HRT

Momento de descontração aconteceu no pátio externo do Banco de Leite Humano

 

Eles pesam menos de 1,5 kg e já são os mais novos caipirinhas do Distrito Federal. O Arraiá dos Canguruzim reuniu os bebês da Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UcinCa) do Hospital Regional de Taguatinga (HRT), na tarde desta quinta-feira (27). A atividade contou com a presença de familiares e profissionais da Neonatologia, teve muito bate-papo e comidas típicas das festas juninas. Objetivo foi de tirar da rotina as mães que estão há meses cuidando de seus bebês no hospital.

 

A psicóloga Mariana Costa Spehar faz parte da equipe de profissionais que cuida de mães e bebês da UcinCa, e faz parte do grupo que organizou o ‘arraiá’. Ela explica: “É uma forma de variar a rotina das mães e fazer com que elas participem das festividades que fazem parte da nossa vida fora do hospital”.

 

Segundo Mariana, em momentos como esse as mães podem registrar, com seus bebês, a primeira festa junina deles, “como a gente também fez no dia das mães. Além disso, é gratificante trazer novas coisas para elas, para variar essa rotina. É uma tentativa de fazer algo a mais por elas”.

 

Emocionada e com os olhos marejados, a mãe do Kaleb, Elaine Cristina dos Santos, descreve um pouco de suas alegrias e angústias. “Ter umas às outras ajuda muito, fortalece, aumenta nossa fé. Esse tempo, às vezes, é angustiante. Antes, meu filho estava na UTI. Agora, está comigo, no quarto e posso ter ele junto o tempo todo”.

 

Kaleb completará 30 dias de vida no domingo. Ele nasceu de 30 semanas e pesava apenas 1,110 Kg. Hoje, já está com 1.465 Kg. No último dia 26 ele conseguiu mamar no peito pela primeira vez.

 

ROTINA – O HRT realiza partos de gestantes a partir de 25 semanas. Enquanto os recém-nascidos ficam internados na Unidade de Tratamento Intensivo, as mães permanecem na Enfermaria da Mãe Nutriz, no hospital, retirando leite a cada três horas para alimentar os prematuros.

 

Essa rotina permanece até que os bebês consigam mamar no peito, o que geralmente acontece quando eles já se encontram na UcinCa, onde mães e filhos ficam juntos em tempo integral.

 

O Método Canguru é um modelo de assistência ao recém-nascido prematuro e sua família, internado na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal, voltado ao cuidado humanizado, que reúne estratégias de intervenção biopsicossocial. O bebê prematuro é colocado em contato com a pele da mãe ou do pai.

 

 

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF