Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/06/13 às 14h44 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Arrastão retira lixo de residências para combater a dengue em Planaltina

COMPARTILHAR

Manejo e um arrastão em residências do Vale do Amanhecer

Uma ação envolvendo diversos parceiros vai promover um manejo e um arrastão em residências do Vale do Amanhecer, em Planaltina, no dia 29 de junho, das 8h às 17h, para combater a dengue. O objetivo é retirar o lixo das casas para eliminar possíveis criadouros do mosquito.

Em seis meses desse ano, segundo dados da Vigilância Epidemiológica de Planaltina, foram notificados 1.364 casos de dengue na região administrativa, e 476 foram confirmados de janeiro até a segunda quinzena de junho.  

A coordenadora-geral de saúde de Planaltina, Mônica Rocha Rodrigues, informa que o índice de avaliação de risco de transmissão da dengue é de 300 casos para cada 100 mil habitantes, sendo que em Planaltina, já ultrapassa 600. Além do Vale do Amanhecer, os setores de Arapoanga e Mestre D´Armas, estão entre as áreas mais críticas que também vão receber o mutirão.

Ela relata que a mobilização foi decidida em função do grande número de casos da doença, e será realizada por profissionais da área de saúde e de outros setores, entre eles, Administração Regional de Planaltina, SLU, Regional de Ensino, agentes de vigilância ambiental e agentes comunitários.

Focos – “Já realizamos ações de prevenção à dengue anteriormente, visitando as residências, distribuindo folhetos e informando como combater a doença. Mas como registramos o aumento da incidência de casos, decidimos que o mais eficaz é que os profissionais de saúde entrem nas casas, identifiquem os focos e esperem que os moradores retirem o lixo e objetos de prováveis criadouros – como pneus, latas e vasos de plantas – para que sejam recolhidos pelo Serviço de Limpeza Urbana”, explica.

Mônica complementa que para isso, o GIPlanDengue – grupo formado por todos os parceiros da campanha – está realizando reuniões com lideranças comunitárias das regiões com maior número de casos onde serão realizadas  as ações. “A proposta é sensibilizar as famílias para que permitam a entrada dos profissionais de saúde em suas casas. É preciso agora uma atitude mais enérgica para que possamos vencer a doença”, diz.

E ressalta que a ideia é agir preventivamente. “Para combater a dengue, precisamos contar com a participação da população. É fundamental que as pessoas colaborem para evitarmos mais casos”, conclui.

Números da dengue diminuem no DF

Os casos confirmados de dengue no Distrito Federal começaram a diminuir consideravelmente no final de maio. Durante todo o mês, foram confirmados 2.307 casos da doença. Já em junho, até o dia 24, a confirmação foi de 386 casos.

“É uma redução importante, mas não podemos relaxar. A secretária de Saúde do DF continuará priorizando os trabalhos de combate à dengue em todas as regiões, antecipando o reinício do período chuvoso”, destaca a subsecretaria de Vigilância à Saúde, Marília Cunha.

Nas 25 primeiras semanas de 2013 (entre 1º de janeiro e 24 de junho) foram 9.123 casos confirmados de dengue, sendo que 3.838 – 42%, importados de outros estados.

“Desde março, as ações passaram a ser mais rigorosas, sendo reforçadas principalmente nas regiões endêmicas, a fim de se criar uma barreira para o mosquito”, afirmou o secretário de Saúde, Rafael Barbosa.

Neste ano, o governo não tem medido esforços para controlar e reduzir o avanço da doença, incluindo uma atenção especial ao estado de Goiás, oferecendo suporte para controlar e diminuir a proliferação do mosquito.

 

Tatiane Gomes

Frederico Prado