Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/05/13 às 17h42 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Atendimento na emergência do Hospital do Gama sofrerá mudanças

COMPARTILHAR

Profissionais fazem treinamento sobre classificação de risco

Médicos e profissionais de enfermagem que trabalham no pronto-socorro do Hospital Regional do Gama participam até dia 10 de capacitação em classificação de risco, para implantação do Protocolo de Manchester, que prioriza o atendimento a pacientes graves, considerados de emergência.

O Protocolo de Manchester, utilizado em 17 países, confere uma cor ao paciente triado – vermelho, laranja, amarelo, verde ou azul – de acordo com os sintomas e a gravidade. Para os doentes que recebem as cores vermelha e laranja, que indicam casos mais graves, o tempo de espera por atendimento deve ser de no máximo dez minutos. Os classificados na cor amarela poderão esperar até 60 minutos e os que recebem as cores verde e azul são casos de sem gravidade.

Após o curso, a implantação do Manchester está prevista para até o fim de maio e o paciente que chegar ao pronto socorro do HRG será avaliado pelo enfermeiro e a classificação será feita a partir das queixas, sinais e sintomas.

Os pronto-socorros de clínica médica e de pediatra do HRG atendem pela classificação de risco com base no Protocolo de Campinas. O hospital presta assistência a moradores do Gama, além de receber pacientes de 25 cidades do entorno sul de Goiás, seis municípios de Minas Gerais e quatro da Bahia. Ano passado foram realizados 296.448 atendimentos no pronto socorro, sendo que 92.805 à pacientes de fora do Distrito Federal.

Eliane Simeão