Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/11/19 às 17h25 - Atualizado em 20/11/19 às 14h34

Atendimento noturno em UBS aumenta satisfação de pacientes

No DF, 19 unidades funcionam até as 22 horas, mas não atendem emergência

 

Ambiente mais tranquilo, com menos pessoas e consultas humanizadas. É essa a opinião de quem tem sido atendido durante a noite nas unidades básicas de saúde (UBS), que funcionam até as 22 horas. Seja por agendamento ou demanda espontânea, 19 UBS estão disponíveis para atender a população no terceiro turno, nas sete regiões de Saúde.

 

“Não tem hora para passar mal, não é mesmo? Então, se um filho está com febre, alguém em casa se sentiu mal à noite, já temos para onde levar”, observa a dona de casa, Maria José Costa. Ela acompanhava a mãe, a idosa Maria de Jesus Costa, na Unidade Básica de Saúde 2 do Recanto das Emas.

 

Para Maria, que já faz acompanhamento na unidade, ser atendida à noite tem inúmeras vantagens. “Durante o dia tem mais gente. À noite, achei mais tranquilo, não faz tanto calor, estou me sentindo melhor”, conta ela.

 

O perfil da unidade em que ela é atendida é de uma população mais idosa e essa era uma das preocupações da gerente da UBS 2, Kelly Lima, quando houve a decisão de estender o horário. “Para nossa surpresa, o retorno dos pacientes tem sido maravilhoso. Inclusive, a devolutiva das equipes médicas é de que estão conseguindo se organizar melhor e oferecer um atendimento de mais qualidade”, conta. O atendimento nas UBS não é para casos de emergência.

 

A aposentada Célia Maria comprova o que diz a gerente. Devido a problemas gastrointestinais, procurou a unidade para consulta e na segunda ida ao médico teve o agendamento para a noite. “É muito melhor, porque de dia a gente precisa deixar as coisas de casa para trás, para vir ao médico. De noite, já está mais tranquilo”, conta ela.

 

A unidade tem sete equipes de saúde da família, que se organizaram para que em cada dia da semana uma seja responsável pelo plantão noturno. O atendimento conta com dois enfermeiros, três técnicos e um médico. “Em breve, pretendemos iniciar a dispensação de medicamentos neste horário também”, adianta.

 

Alline Martins, da Agência Saúde

Fotos: Isabelle Araujo/Saúde-DF