Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/09/21 às 12h56 - Atualizado em 23/09/21 às 21h41

Bloco materno infantil do Hospital Regional de Sobradinho segue com bandeira negra até que reparos na rede elétrica sejam concluídos

COMPARTILHAR

Secretário de saúde, general Pafiadache, visitou o local na manhã desta quinta-feira

 

LÍVIA DAVANZO I EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA I DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

​O secretário de saúde, general Pafiadache, visitou na manhã desta quinta-feira (23) o bloco Materno Infantil do Hospital Regional de Sobradinho (HRS) para verificar a situação do local, após dois incidentes na parte elétrica. “O importante é destacar que foram tomadas as medidas corretas e rápidas para restabelecer primeiro a assistência e, depois, a infraestrutura. A direção agiu rapidamente para garantir os cuidados aos bebês e mães que aqui estavam”, informou.

 

Bloco Materno Infantil do HRS – Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

A bandeira negra foi decretada e segue mantida nesta quinta-feira até que os reparos sejam efetuados e os atendimentos possam ser retomados com segurança. De acordo com a superintendente da Região de Saúde Norte, Sabrina Gadelha, a medida vale para o bloco Materno Infantil. “As demais áreas do hospital estão funcionando normalmente”, afirmou.

 

A Secretaria de Saúde solicitou apoio à Neoenergia Brasília para realizar com maior assertividade novos reparos na rede interna do Hospital Regional de Sobradinho. De acordo com a pasta, a empresa realizou o pronto atendimento à solicitação, tendo concluído o serviço às 14h30 desta quinta.

 

Providências

 

O secretário de saúde reforçou que a rede pública e conveniada foram imediatamente acionadas para receber os pacientes e nenhum ficou desassistido. “Durante o dia foi feito movimento interno dos pacientes sempre com a preocupação da segurança”, pontuou.

 

Segundo a diretora do HRS, Juliana Queiroz, após a equipe de manutenção ter constatado que a energia não voltaria naquele momento na UTI Neonatal, os pacientes foram deslocados para outra ala do hospital apta a recebê-los com segurança. “Não teve nenhuma intercorrência com os bebês e o atendimento às gestantes continuaram normalmente, já que a falta de energia foi na UTI Neonatal”, explicou.

 

Pacientes transferidos

 

A superintendente da Região Norte ressaltou que o HRS recebeu imediatamente apoio de hospitais da rede que se manifestaram para receber os bebês e as mães. Os pacientes foram transferidos com a ajuda do Serviço Móvel de Urgência (S​amu) e ambulâncias do Núcleo de Apoio e Remoção de Pacientes (NARP).

 

Secretário de Saúde, general Pafiadache, em visita ao HRS – Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

Os pacientes da UTI Neonatal foram transferidos para o Hospital São Francisco (3); Hospital Santa Marta (2). Os da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatais (Ucin) foram transferidos para o Hospital Regional da Asa Norte (2); e Hospital Regional de Planaltina (1).

 

As gestantes de alto risco foram recebidas no Hospital Materno Infantil de Brasília Dr. Antônio Lisboa (3), no Hospital Regional da Asa Norte (6) e no Hospital Regional de Taguatinga (1).

Além disso, três gestantes em trabalho de parto foram transferidas para o Hospital Regional de Planaltina.​