Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/05/16 às 19h03 - Atualizado em 30/10/18 às 15h14

Campanha arrecada Kits de hotelaria dispensados por hóspedes

Os itens de higiene pessoal serão entregues para pessoas em situação de vulnerabilidade

BRASÍLIA (17/05/16) – Sabe aquele sabonete e shampoo que os hotéis costumam disponibilizar para os hóspedes, e muita gente não usa? Pois é, estes itens normalmente descartados podem beneficiar muitas pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade. Foi com esse objetivo que a chefe do Serviço Social do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), Ana Alice Meirelles, decidiu criar uma campanha nas redes sociais para sensibilizar os viajantes a doarem os Kits para quem precisa.

Ela explica que o “SUS oferta benefícios como medicamentos e outros materiais utilizados pelo usuário durante o período de internação nas unidades de saúde, mas não dispõe de recursos para oferecer produtos de hotelaria. Quando vi um folheto de divulgação sobre o trabalho de um grupo de voluntários no Rio de Janeiro, no qual era solicitada a entrega de kits de hotelaria para doação a moradores de rua, achei que poderíamos adotar uma iniciativa semelhante aqui em Brasília”.

Em pouco mais de cinco dias após a publicação do post nas redes sociais, Ana Meirelles registrou mais de mil compartilhamentos e já começou a receber as doações. Qualquer pessoa pode fazer a entrega dos produtos, basta procurar o plantão do serviço social do HRAN, que funciona de 7 às 19 horas no ambulatório do hospital.

Antes da realização da campanha, as voluntárias que trabalham em conjunto com a equipe do serviço social do HRAN já vinham adquirindo produtos de higiene pessoal com os recursos obtidos por meio da venda de roupas doadas no hospital. Agora, com a consolidação da iniciativa, Ana Meirelles espera ampliar a oferta dos produtos aos integrantes de grupos vulneráveis que buscam o atendimento na instituição.

Para avaliar quais pessoas passam por situações de vulnerabilidade, como o desemprego, dependência química, vínculos familiares frágeis, por exemplo, as assistentes sociais – únicos profissionais que têm fé pública para atestar essa condição – fazem entrevistas com os usuários, que ficam habilitados, então, a receber esse e outros tipos de assistência.

Veja fotos aqui: