Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/03/15 às 18h35 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Cesárea é realizada no Base para salvar vida de paciente

Procedimento é realizado por equipe multidisciplinar

BRASÍLIA (30/3/15) – Na última sexta-feira (27), uma paciente de 24 anos internada na Neurocirurgia do Hospital de Base, com diagnóstico de lesão de coluna compatível com um tumor, passou por uma cesárea programada com gestação de 8 meses, o que não acontecia desde 1982 – ano em que foi extinta a Unidade de Obstetrícia da unidade.

A necessidade da cesariana foi debatida por uma equipe multidisciplinar com especialistas em cirurgia torácica, obstetrícia, cirurgia geral, pediatria, chefia do centro cirúrgico e enfermagem que optou, devido à gravidade da situação, por realizar o parto no Hospital de Base.

“Optamos por realizar o parto da paciente aqui mesmo por causa da gravidade do caso. Pois a paciente apresenta um quadro clínico que exige cuidados e a necessidade de realização de uma biópsia. Hoje, ela está paraplégica devido a lesão e é necessário continuar o tratamento, o que pode exigir condutas que podem ser nocivas para o bebê – como radioterapia e quimioterapia”, destaca Paulo Lisbão, obstetra do HBDF.

A paciente deu entrada no Hospital de Base na segunda-feira (23) com suspeita de tumor na coluna com o agravamento da lesão extensiva na região torácica causando paraplegia e se estendendo pela região do tórax.

“A atuação do obstetra foi de fundamental importância para o caso. Após a cesárea, fizemos uma pleuroscopia– a visualização da pleura, a membrana que recobre os pulmões, através de um aparelho de vídeo para podermos realizar a biopsia. Com essa sequência de atendimento, conseguimos salvar a vida do bebe e da mãe.”, ressalta Joaquim Euclides, cirurgião torácico do HBDF.

“Sem esse trabalho multidisciplinar não conseguiríamos obter sucesso. Houve um grande envolvimento dos profissionais enfermeiros, cirurgiões e anestesistas. O esforço foi recompensado com a vida. Mãe e filha passam bem”, acrescenta Renato Sousa, chefe do Centro Cirúrgico do HBDF.

Atualmente, a criança apresenta situação estável e a mãe iniciará o tratamento da doença no Hospital de Base.