Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/11/19 às 9h12 - Atualizado em 21/11/19 às 17h01

Cobertura de saúde bucal ultrapassa meta de atendimento

COMPARTILHAR

Assistência odontológica cria vínculos e favorece cuidados com a saúde

 

A família da autônoma Marta Passos, 44 anos, recebe assistência odontológica na Unidade Básica de Saúde (UBS) 4 de Sobradinho II. Este ano, dois novos integrantes da família de Marta passaram a fazer uso dos serviços de forma mais frequente. Assim como eles, mais pessoas tiveram acesso à assistência odontológica em 2019.

 

É o que mostram os indicadores da cobertura de saúde bucal da Atenção Primária. Das sete regiões de saúde, quatro já ultrapassaram a meta anual de ampliação de cobertura. A Região de Saúde Norte, por exemplo, aumentou em 50% a cobertura de saúde bucal, quando a meta era de ampliar em 43%.

 

“As metas de ampliação da cobertura de saúde bucal na Atenção Primária buscaram aumentar e qualificar o acesso dos usuários aos cuidados que envolvem a saúde bucal. Ampliando o número de pessoas com acesso ao serviço, abrem-se oportunidades para que esses usuários busquem outros cuidados de saúde, favorecendo à melhora da qualidade de vida”, destaca o gerente de Odontologia da Secretaria de Saúde, Maurício Bartelle.

 

São cinco os filhos da autônoma Marta que fazem tratamento de saúde bucal na unidade. Porém, o Enzo (2) e a Vanessa (24) começaram, este ano, seus acompanhamentos de cuidados odontológicos. Há um diferencial nos cuidados da Vanessa Passos, que é uma paciente acamada e recebe assistência em casa.

 

LAÇOS – A visita domiciliar faz parte da rotina de trabalho da cirurgiã dentista da Unidade, Kátia Soraia do Espírito Santo. A profissional já é visita constante na casa de Vanessa. A frequência das visitas foi estabelecida após um primeiro atendimento, onde foram avaliados os cuidados preventivos para a promoção da saúde bucal da paciente.

 

“O atendimento é excelente e é muito importante na nossa vida. A profissional é maravilhosa. Atende toda a família e nos ajuda muito. Sempre que precisamos, ela vem aqui e atende a Vanessa com muito cuidado”, ressalta a mãe da paciente, Marta.

 

A cirurgiã dentista Kátia destaca a importância do aumento da cobertura de atendimento e da satisfação do acolhimento mais próximo da comunidade.

 

“O aumento da cobertura favorece um maior número de usuários com acesso aos serviços de Odontologia, muitas vezes, porta de entrada de pacientes para os cuidados com a saúde de forma geral. O atendimento próximo à comunidade é extremante gratificante. Além de conhecer a realidade do território, conseguimos estabelecer um vínculo com toda a família e oferecer um tratamento integral”, reforça Kátia.

 

Para cada região, há uma cobertura de saúde bucal na Atenção Primária já estabelecida e, a partir daí, determinam-se as ampliações da cobertura assistencial de tratamento. O estabelecimento das metas de qualidade tem o intuito de melhorar oatendimento do Serviço Único de Saúde (SUS).

 

O gerente da Odontologia afirma que a melhoria da cobertura se deve a três processos: a organização das atividades de trabalho, deixando clara a vinculação entre as equipes de saúde bucal e as Equipes de Saúde da Família; as movimentações necessárias de profissionais de uma UBS para outra; e a ampliação da carga horária, realizada pela Secretaria de Saúde.

 

AVANÇOS – Além das metas, o serviço de saúde bucal vem alcançando outros avanços. No âmbito das especialidades odontológicas, a secretaria promoveu a regulação do acesso em todas as regiões de saúde, gerando uma maior organização e transparência dos serviços odontológicos especializados.

 

No médio prazo, essa ação promoverá um acesso mais rápido e resolutivo às especialidades odontológicas. Foram realizadas capacitações, como cursos de atendimento odontopediátrico à pessoa com deficiência na Atenção Primária.

 

Nos próximos meses, será iniciado o serviço de prótese dentária na Atenção Primária à Saúde, tornando o acesso a este serviço mais fácil, difundido e presente. Ainda será realizado um levantamento das doenças bucais mais comuns na população do Distrito Federal, direcionando o planejamento dos recursos para as áreas que tenham maiores necessidades.

 

Também está prevista, até o fim desta gestão, a construção de três novos centros de especialidades odontológicas no DF em Brazlândia, Recanto das Emas e São Sebastião.

 

REGIÕES DE SAÚDE – As outras regiões de saúde que já ultrapassaram a meta anual de ampliação da cobertura são: a Região Central, que tinha o objetivo de ampliar em 16% o atendimento e já aumentou em 17%; a Oeste ampliou em 36%, quando a meta era 35%; na Região Sudoeste, a meta, que era de 32%, já aumentou em 43%. As que ainda não atingiram os objetivos continuam trabalhando nesse processo, com tendência de cumprimento da ampliação da cobertura.

 

Nivania Ramos, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF