Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/08/16 às 11h27 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Comunicação contribui para a autossuficiência em leite humano no DF

COMPARTILHAR

Tese de doutorado aponta importância de ações e da atuação em rede dos bancos de leite da Secretaria de Saúde

BRASÍLIA (25/8/16) – A constante comunicação com as mães em fase de amamentação é o principal demarcador para a autossuficiência em leite humano no Distrito Federal. A conclusão é da doutora em Ciências Roberta Monteiro Raupp, que usou a Rede de Bancos de Leite Humano do DF (BHL) para sua tese de doutorado em Informação e Comunicação em Saúde.

“A doação de leite humano está diretamente relacionada à comunicação, como processo de produção, circulação e apropriação dos sentidos sociais, e é parte integrante de uma categoria mais ampla, que é a amamentação. Sendo assim, podemos dizer que as práticas de comunicação que valorizam o diálogo, a inclusão, o cuidado e o acolhimento foram fundamentais para o incentivo à amamentação e, consequentemente, na captação de doadoras de leite humano”, diz Raupp.

Ela cita, ainda, que outra forte característica observada se refere ao trabalho em rede, sendo mencionado por 87% dos entrevistados. “Nesse contexto, observamos o empenho dos profissionais atuantes em BLHs do DF em trabalhar em parceria com outras equipes do hospital e com os gestores”, destaca Raupp.

A doutora ressalta, ainda, que o trabalho em rede se estendeu para além das equipes pertencentes a uma mesma instituição, através do compartilhamento de conhecimentos, técnicas, equipamentos e até mesmo do excedente de leite humano para melhoria do serviço de outros BLHs da região.

A proximidade da Coordenação Distrital da Secretaria de Saúde com os bancos de leite do DF, bem como a atuação da assessoria de comunicação da pasta também foram citados como forma de reforço para aumentar as doações de leite.

A coordenadora de Bancos de Leite Humano do DF, Mirian Santos, afirma que a tese, além de apontar as características que ajudam a tornar o DF autossuficiente em doação de leite materno, é importante para contar os mais de 30 anos de história e trabalho da rede. “É uma tradição e continuamos com as ações”, frisa.

PREMIAÇÃO – Roberta Raupp incluiu, ainda, em sua tese, a existência de leis, parcerias e os títulos e premiações recebidos pelos bancos de leite humano do DF, dizendo que tudo isso fortaleceu as ações de comunicação em prol do aleitamento materno e da doação de leite humano.

Uma das ações mais recentes e que aponta resultados bem positivos foi a criação e o lançamento, em maio, do site Amamenta Brasília (http://amamentabrasilia.saude.df.gov.br/). “Desde o seu lançamento, tivemos 100 doadoras que fizeram o cadastro pelo site e outras 300 mulheres que usaram o telefone 160 opções 4 para isso, já que a página também faz a propaganda desse contato”, observa a coordenadora dos Bancos de Leite Humano do DF, Miriam Santos.