Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/09/20 às 16h28 - Atualizado em 30/09/20 às 17h03

DF ganha Centro de Radioterapia de última geração

Unidade será responsável por zerar fila de espera para início de tratamento contra o câncer

 

JURANA LOPES

 

Foi inaugurado, nesta quarta-feira (30), o novo Centro de Radioterapia da rede pública de saúde do Distrito Federal, instalado próximo ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT). A unidade, com equipamento de última geração, atenderá a demanda dos pacientes oncológicos do DF que necessitam de tratamento com radioterapia, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Unidade conta com acelerador linear de última geração – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

A cerimônia de inauguração contou com a presença do governador do DF, Ibaneis Rocha, do secretário de Saúde, Osnei Okumoto, do secretário de Atenção Especializada à Saude do Ministério da Saúde, Luiz Otávio Franco e demais autoridades.

 

“Estamos fazendo um esforço conjunto para melhorar a saúde do DF, que estava abandonada por mais de dez anos. Este Centro de Radioterapia será referência para o tratamento de câncer no DF. Vamos zerar a fila de espera de pacientes que aguardam para fazer a radioterapia. Acompanhei as obras deste centro desde o início e essa inauguração é a prova de que, com boa vontade e parceria vamos muito longe”, afirma o governador Ibaneis Rocha.

 

O espaço conta com um aparelho de alta tecnologia usado em exames de radioterapia, chamado de acelerador linear. A capacidade de atendimento do centro é de, inicialmente, 25 pacientes por dia, diminuindo o tempo de espera para o início do tratamento. Atualmente, a fila de espera para o tratamento por radiação, no Distrito Federal, possui 134 pacientes.

 

Governador inaugurou a unidade juntamente com o Secretário de Saúde e outras autoridades – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

“Essa estrutura vai possibilitar a redução de tempo no tratamento contra o câncer e ainda economizará R$ 400 mil por mês aos cofres da Secretaria de Saúde. Esse valor será investido em outras melhorias na saúde. Além disso, o Centro de Radioterapia vai atender todas as necessidades dos pacientes que estão na fila para iniciar o tratamento contra o câncer”, informa o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

 

Investimento

 

O investimento total do Centro de Radioterapia foi de R$ 9,1 milhões, sendo que R$ 3 milhões foram destinados à aquisição do equipamento acelerador linear da empresa norte-americana Varian Medical Systems. Os recursos são provenientes do Ministério da Saúde em parceria com o GDF, que forneceu recursos humanos, terreno e know-how.

 

“Este valor não significa nada em relação ao tratamento que será ofertado aqui. Nenhum recurso paga os benefícios que uma unidade como esta proporciona aos pacientes oncológicos. Esta estrutura é fundamental para erradicar a fila de espera por tratamento de câncer, que é meta prioritária do Ministério da Saúde”, afirma Luiz Otávio Franco, secretário de Atenção Especializada à Saude do Ministério da Saúde.

 

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Segundo o superintendente da Região de Saúde Sudoeste, Wendel Moreira, a inauguração do Centro de radioterapia é uma grande conquista para a região e para os pacientes oncológicos, que terão a oportunidade de diminuir a quantidade de sessões de radioterapia e aumentar sua qualidade de vida e de seus familiares.

 

“O Centro de Radioterapia nos dá a esperança de prolongar a vida dos pacientes com câncer e diminuindo o tempo de tratamento, pois será possível reduzir, por exemplo, um tratamento contra o câncer de próstata de 38 frações para 20, do câncer de mama, de 28 para 18, sem prejuízos ao controle da doença”, afirma Wendel.

 

Atualmente, o atendimento a pacientes com câncer na Secretaria de Saúde é feito no Hospital de Base, no próprio Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e no Hospital Universitário de Brasília (HUB), além de nas unidades contratadas junto à rede privada.

 

Diferencial

 

O acelerador linear é um equipamento utilizado em uma modalidade do tratamento de câncer, que é a radioterapia. É um aparelho de alta tecnologia que gera uma forma de radiação, através de corrente elétrica. O equipamento direciona para a área que se deseja tratar. Essa radiação no tecido doente promove a destruição desse tecido.

 

O Centro de Radioterapia será o primeiro serviço SUS do DF a oferecer radiocirurgias, técnica que permite tratar lesões cerebrais com doses até dez vezes maiores que na radioterapia convencional.

 

Obra

 

A obra teve início em 8 janeiro de 2019 e foi concluída em abril deste ano. O prédio do Centro de Radioterapia ocupa uma área de 860 metros quadrados, ao lado do HRT. A sala em que se instalou o acelerador linear foi construída com materiais especiais e paredes de concreto de alta densidade, chamada de bunker. Essa estrutura é necessária para evitar que a radiação espalhe-se no ambiente. O centro conta com recepção, salas de espera, consultórios, banheiros e todos os ambientes conforme a Lei de Acessibilidade.

 

Hospital Oncológico

 

Durante a inauguração do Centro de Radioterapia, o governador Ibaneis Rocha anunciou que, nesta quinta-feira (1º), se encerra o processo licitatório para a construção do Hospital Oncológico de Brasília e garantiu que o local será construído ainda neste governo.

 

“Quero tornar Brasília referência no tratamento contra o câncer e o Hospital Oncológico será uma realidade. Esse hospital possibilitará completar todo esse ciclo do tratamento oncológico no DF, nos colocando no nível de vários outros estados”, assegurou Ibaneis.

 

O Hospital Oncológico de Brasília terá investimento de R$ 119 milhões. O projeto consiste em uma unidade hospitalar com 172 leitos, sendo 152 de internação e 20 de unidade de terapia intensiva (UTI), além de consultórios multidisciplinares, alas para tratamento de quimioterapia, radioterapia, medicina nuclear, endoscopia e salas de cirurgia conjugadas.

 

A unidade, que será erguida no Setor Noroeste, terá capacidade para atender nove mil pacientes por ano. Exames de imagem, como mamografia, ultrassom e raios X, também poderão ser realizados no local.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO