Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/04/15 às 18h18 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Dia Nacional de Combate e Prevenção à Hipertensão Arterial no DF

No Distrito Federal, 22,3% da população tem a doença

BRASÍLIA (24/4/15) – O dia 26 de abril é reservado à campanha de prevenção e combate à hipertensão. Para celebrar a data, a Secretaria de Saúde irá promover ações de aferição de pressão arterial e orientações sobre educação em saúde em Planaltina, nesta sábado (25), e na Asa Sul, no dia 7 de maio. Haverá, ainda, um seminário no próximo dia 28, sob o tema Abordagem da Hipertensão Arterial na Atenção Primária à Saúde.

Os dados mais recentes sobre casos de hipertensão no DF constam na pesquisa Vigitel 2013, realizada pelo Ministério da Saúde e apontam que a frequência de pessoas que referiram diagnóstico de hipertensão naquele ano foi de 22,3%, sendo a maioria do sexo feminino. O DF apresenta a menor frequência do que o total dos demais municípios das capitais brasileiras.

A hipertensão arterial ou pressão alta é quando a pressão que o sangue exerce nas paredes das artérias para se movimentar é muito forte, ficando acima dos valores considerados normais. Uma pessoa é considerada hipertensa quanto sua pressão arterial está maior ou igual a 14×9. “Porém, ótimo é manter a pressão igual a 12×8. Para essa consideração, as medidas devem ser feitas várias vezes, de forma correta, com aparelhos calibrados e por profissional capacitado”, observa o enfermeiro da Coordenação Central de Hipertensão da Secretaria de Saúde, Mauro Adil.

Caso a hipertensão não seja tratada, ela pode ocasionar derrames cerebrais, doenças do coração, insuficiência renal ou paralisação dos rins e alterações na visão que podem levar à cegueira. A maioria das pessoas com o problema, porém, não apresentam sintomas no início da doença. “Os sintomas atribuídos ao aumento da pressão são dor de cabeça, cansaço, tonturas, sangramento pelo nariz, entre outros, porém esses podem não estar associados à pressão alta” alerta Mauro Adil.

GRUPO DE RISCO- Algumas pessoas têm mais riscos de ter hipertensão. Segundo o enfermeiro Mauro Adil, aquelas com excesso de peso, que não têm alimentação balanceada, não praticam atividades físicas, ingerem bebida alcoólica, são diabéticas e têm familiares hipertensos integram o grupo de risco. “A possibilidade de hipertensão aumenta com a idade. Após os 55 anos, mesmo as pessoas com pressão arterial normal, têm 90% de chances de desenvolver a doença”, diz.

PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO

HORÁRIO

TEMAS

Responsável

MANHÃ

7:30 às 8:00h

Entrega de material assinatura da frequência

Lucila/Mauro

8:00 às 8:15h

ABERTURA

Dra. Manira Miguel Boczar

8:15 às 9:00h

Hipertensão e Atenção Primária

Dr. Thiago Aragão

9:00 às 9:45h

Dislipidemia

Dra. Raquel Bevilaqua

10:00 às 10:15h

Coffe Break

Sabin

10:15 às 11:00h

Novas Diretrizes em Hipertensão Arterial

Dra. Luciana Buosi

11:00h às11:45h

Nutrição: Orientação Nutricional prática para o paciente analfabeto e baixa renda.

Dra. Dárika

12:00 às 13:30h

Almoço

TARDE

13:30 às 14:00h

Assinatura da frequencia da tarde

Lucila/Mauro

14:00 às 14:45h

Hipertensão e considerações renais

Dr. Sálvio Ananias Agresta

14:45 às 15:15h

Atividade Física

Dr. Natal da Silva

15:15 às 15:45h

Crise Hipertensiva

Dr. Thiago Aragão

15:45h  às 16:00h

Coffee Break

Sabin

16:00h às 16:45h

Interações medicamentosas na Hipertensão

Dr. Rafael Cardinali

16:45 às 17:00h

Entrega das declarações aos ouvintes

Lucila/Mauro