Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/11/13 às 11h13 - Atualizado em 30/10/18 às 15h09

Diabetes gestacional causa riscos à mães e bebês

COMPARTILHAR

Diagnóstico deve ser feito a partir do sexto mês

No dia 14 de novembro é comemorado o Dia do Controle e Prevenção do Diabetes. Para lembrar a data, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal alerta às grávidas sobre os perigos da diabetes gestacional. Segundo a médica ginecologista do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), Adriana Cacinell de Lima, a doença é uma alteração metabólica causada pela gravidez caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue. O diagnóstico da doença deve ser realizado durante o pré-natal entre a 24ª 28ª semana de gestação.

“A diabetes gestacional ocorre por uma produção de hormônios específicos da gravidez que podem bloquear a ação da insulina, responsável pelo transporte do açúcar do sangue, aumentado assim o nível de glicose no corpo. Isso pode ocorrer em qualquer gestante, principalmente aquelas que apresentam sobrepeso, sedentarismo e tenham pré-disposição genética a diabetes”, relata a Adriana.

A ginecologista ainda explica que durante a gestação o bebê também é afetado pela doença ao ser exposto, ainda no útero da mãe, a grandes quantidades de glicose. As alterações metabólicas causam uma sobrecarga no corpo da criança provocando crescimento fetal excessivo, obesidade ou o óbito.

“É muito importante que a mãe faça um bom pré-natal e realize todos os exames necessários durante a gravidez. Caso a paciente descubra que está com diabetes gestacional, é importante que faça uma reeducação alimentar com um profissional”, ensina a ginecologista.

De acordo com a nutricionista, Adriana Haack, a paciente deve evitar o consumo de alimentos gordurosos, fazer pelo menos seis refeições ao logo do dia e consumir alimentos ricos em proteínas, cálcio, ferro e vitaminas, além de praticar exercícios físicos diariamente.

“A boa alimentação ajuda a normalizar a taxa de glicemia da paciente, além de protegê-la de outras doenças. Recomendo que essas gestantes troquem as comidas açucaradas e gordurosas por alimentos saudáveis como o arroz integral, carnes magras, verduras, frutas e aveia. Elas precisam comer várias vezes ao dia para evitar o jejum, mas a quantidade de alimento tem que ser reduzida”, comenta a nutricionista.

A Secretaria de Saúde do DF oferece atendimento especializado a essas gestantes no Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB). A unidade conta 28 leitos para internação e profissionais de saúde especializados em gestação de alto risco. Ana Cleide Ferreira da Silva, 41 anos, está gravida de nove meses e foi internada por estar com diabetes gestacional. A paciente informa que é mãe de três filhas e que essa é a segunda vez que apresenta a doença.

“Há 14 anos grávida da terceira filha também tive diabetes, mas não precisei de cuidados específicos. Já nesta gestação, o quadro se agravou. Fiz o pré-natal no Centro de Saúde de São Sebastião e com a dieta consegui baixar as taxas. Como não foi o suficiente e estou perto de dar a luz, meu médico me encaminhou para o HMIB por ser um hospital de referência”, comenta a paciente.

Por Ludmila Mendonça e Ana Luiza Greca, da Agência Saúde DF
Atendimento à Imprensa
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226