Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/05/21 às 17h13 - Atualizado em 17/05/21 às 17h15

Doação de leite materno: a pandemia trouxe mudanças, a sua doação traz esperança

COMPARTILHAR

Diariamente, cerca de 250 bebês internados nas UTIs neonatais do DF necessitam de leite humano

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

As doações de leite materno são responsáveis por salvar a vida de centenas de recém-nascidos em todo o Distrito Federal. Para que esses bebês não fiquem sem alimento, os estoques dos Bancos de Leite Humano (BLH) precisam sempre estar em alta, tendo em vista que a demanda é muito grande.

 

 

Em janeiro de 2021 foram coletados 1.332 litros de leite humano. Em fevereiro as doações foram de 1.285,7 litros. Em março ocorreu aumento e foram coletados 1.586,8 litros de leite humano. Em abril 1.563,3 litros, totalizando de janeiro a abril de 2021, 5.767,8 litros de leite materno coletados. O total coletado no mesmo período de 2020 foi de 5.164,1 litros. E para manter os estoques de forma estável e poder atender a mais crianças é necessário manter 1.500 litros ou mais por mês.

 

“Apesar da melhora deste ano se comparado ao mesmo período do ano passado a necessidade de doação é sempre presente, quanto maior o volume coletado, maior será o número de recém-nascidos atendidos”, explica Miriam Santos, coordenadora das Políticas de Aleitamento Materno e Banco de Leite Humano do DF.

 

Toda mulher que estiver amamentando é uma potencial doadora. A coordenadora faz um apelo para que as mamães que estejam amamentando contribuam para aumentar os estoques do Banco de Leite Humano do Distrito Federal.

 

“A doação de leite humano fará a diferença na vida de muitas mulheres e crianças. Temos diariamente cerca de 250 bebês internados nas UTIs neonatais que necessitam deste alimento tão precioso”, enfatiza Miriam.

 

 

Pandemia

 

A coleta de leite humano sempre foi cercada de muitos cuidados e a Covid-19 trouxe uma nova dimensão e implantação de regras mais rígidas com relação à higienização, que foram reforçadas pelas equipes dos Bancos de Leite Humano e pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF).

 

Miriam faz um apelo para que as mães continuem doando leite materno e tomando os mesmos cuidados com a higiene durante a coleta. “Lembrando sempre de proteger as vias respiratórias e de lavar muito bem as mãos”, complementa. Além disso, a coordenadora destaca que a mulher não precisa sair de casa para entregar o leite. “Basta entrar em contato que vamos buscar”, afirma.

 

Como doar o leite materno

 

Toda mulher que está amamentando pode ser voluntária e ajudar a salvar a vida de vários recém-nascidos. Para se tornar doadora basta ligar para o telefone 160, opção 4 ou acessar o site Amamenta Brasília e se inscrever. Depois disso, as equipes do Banco de Leite Humano entrarão em contato para agendar a visita do CBMDF.