Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/06/16 às 17h18 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Em Sobradinho, mudança no atendimento de emergência da clínica médica ocorre sem problemas

A partir desta quarta-feira (29)  o atendimento nesta especialidade passa a ser feito somente pela UPA

BRASÍLIA (29/6/16) – Começou com tranquilidade a transferência do atendimento de emergência da clínica médica do Hospital de Sobradinho (HRS) para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. Os 40 pacientes que procuraram esta especialidade na Unidade, na manhã desta quarta-feira (29), foram atendidos dentro do tempo previsto pelo sistema Manchester de classificação por cores.

O objetivo da mudança é oferecer atendimento rápido e desafogar o pronto-socorro do HRS, que passará a focar o atendimento nas demais especialidades, que são pediatria, ortopedia, ginecologia e obstetrícia e cirurgia geral. A expectativa é de que a UPA, que atende aproximadamente 210 pacientes por dia passe a receber até 290.

“Os pacientes que chegarem à UPA e precisarem ficar internados por mais de 24 horas serão conduzidos para o HRS, que cuidará dos casos de internação da clínica médica. Com isso, os médicos da Unidade poderão dedicar o tempo exclusivamente para quem precisa de atendimento mais rápido, acelerando o serviço”, explicou o chefe dos médicos da UPA, Vinicius de Sá.

De acordo com o gerente, Daniel de Souza Matos, a unidade manterá, durante todo o dia, três médicos por plantão. “Temos capacidade para atender mais pacientes do que estávamos recebendo. Há algum tempo, já estávamos acolhendo os classificados como verde e amarelo, transferidos do HRS.

Maria das Graças Mendes da Silva, 42 anos, que chegou a levar a filha Raissa Ferreira, 17 anos, ao Hospital de Sobradinho, ficou satisfeita com a reorganização. “Me informaram sobre a mudança no hospital. Quando chegamos à UPA, fizemos a ficha e passamos pela triagem. O atendimento foi muito rápido. Achei a reorganização bem melhor”, disse.

SERVIÇO – Inicialmente, haverá transporte sanitário para conduzir os pacientes que desconhecerem a mudança. O transporte ocorre a cada uma hora, dependendo da demanda. Antes de serem encaminhados ao veículo, os pacientes são avaliados e triados. Aqueles que receberem a classificação de cor vermelha, ou seja, que necessitarem de atendimento imediato, são acolhidos no hospital.

ESTRUTURA – A Unidade é do tipo III e possui 138 funcionários, sendo 25 médicos. Além de ter uma base fixa do SAMU, a estrutura conta ainda com cinco consultórios de clínica médica, uma sala vermelha com quatro leitos e uma sala vermelha com outros quatros leitos.

Veja as fotos aqui