Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/03/13 às 14h34 - Atualizado em 30/10/18 às 14h58

Enfermagem promove curso de atualização sobre metodo inovador de tratamento

Temas abordados têm foco no tratamento de feridas

 

A Gerência de Enfermagem da Secretaria de Saúde promove nesta quinta-feira (14), de 8h às 18h, o Curso de Atualização no Tratamento de Feridas. Cerca de 200 enfermeiros da rede pública, que trabalham com curativos, participam do evento, no auditório da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs). As aulas estão sendo ministradas por enfermeiros especialistas na área.

Os especialistas vão abordar todos os tipos de curativos, inclusive o novo tratamento de lesões graves com o uso de pressão negativa (sucção) que está sendo introduzido na rede de saúde. Segundo o gerente de Enfermagem da SES, Márcio da Mata, a capacitação é importante para qualificar os profissionais na utilização de novas tecnologias em tratamento de feridas.

Entre outros temas abordados no curso, estão a anatomia e fisiologia da pele, processo de cicatrização e avaliação de lesões; acessos vasculares e drenos: técnica de curativos e coberturas disponíveis na rede; queimaduras: avaliação e cuidados de enfermagem no primeiro atendimento; entre outros.

Novo tratamento

O novo tratamento de feridas, em introdução pela SES, e abordado durante o curso, é inovador por usar uma bomba de sucção que favorece a cicatrização e drena as lesões. O procedimento está sendo utilizado no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e no Hospital de Base e já beneficiou nove pacientes. Nos próximos dias, o serviço será levado aos demais hospitais públicos.

Segundo Márcio da Mata, o novo curativo que está sendo utilizado pela primeira vez na rede pública, tem papel fundamental na recuperação dos pacientes. “Como reduz o tempo de internação, o procedimento diminui o custo do tratamento e minimiza o sofrimento dos portadores de feridas graves”, diz.

O curativo é um sistema que produz pressão negativa sobre o ferimento. É colocada uma esponja, que em contato com a ferida e acoplada a uma bomba, remove fluidos da superfície da lesão reduzindo os riscos de infecção e acelerando a cicatrização de ferimentos graves. Enfermeiros de todos os hospitais já estão sendo capacitadas para utilizar o novo tratamento.


Celi Gomes