Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/07/13 às 20h23 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

ESCS finaliza primeira turma do Mestrado Internacional

COMPARTILHAR

Parceria entre a Escola Superior em Ciências da Saúde e Maastricht University forma estudantes da primeira turma do mestrado internacional

Docentes da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) finalizaram nessa quarta-feira (10/7) a primeira turma do Mestrado Internacional da ESCS em parceria com a Maastricht University (UM), da Holanda.

Entre as teses defendidas, está o estudo sobre o método utilizado pela Escola na formação dos estudantes de Medicina e Enfermagem, Aprendizado Baseado em Problemas, defendido pelo neuropediatra Sérgio Henrique Veiga, docente da ESCS há oito anos e servidor da Secretaria de Saúde do DF há 22 anos.

De acordo com docente e neuropediatria, Sérgio Henrique Veiga, este mestrado de dois anos me proporcionou um grande crescimento. “Depois desse conhecimento adquirido ao longo do curso, considero-me um docente que oferece uma discussão mais organizada e flexível para os meus estudantes”, declarou.

Para a doutora em saúde coletiva, Eliana Claudia Ribeiro, o potencial dessa produção do mestrado internacional é enorme. “A turma é formada por docentes da ESCS que se concentram no compromisso da transformação, na melhoria da qualidade, além da complementariedade dos trabalhos terem como objeto as abordagens de ensino e prática realizadas na ESCS”, ressaltou.

Segunda Turma

O responsável na ESCS pela parceria com a Universidade Holandesa, professor Mourad Belaciano, afirma que uma segunda turma está sendo planejada e a previsão é para o próximo ano. “O segundo mestrado terá um número maior de vagas, com 55 estudantes -15 do Distrito Federal e 40 de outras Escolas de Medicina de estados brasileiros, todos médicos e enfermeiros selecionados em instituições de ensino superior públicas e profissionais do SUS”, declarou.

De acordo com o coordenador do mestrado pela Maastricht University, Stewart Mennin, os estudantes virão de todas as partes do Brasil para enriquecer ainda mais esse programa, com isso será dado continuidade ao intercâmbio com professores da América latina. “O programa terá dois meses de participação presencial na ESCS – sede do Programa no Brasil – e 22 meses por ferramenta online pela UM. Os últimos seis meses serão dedicados ao fechamento das teses para a apresentação final”, afirmou.

Parceria

A parceria iniciada em 2009 entre a ESCS e a UM abriu o Mestrado em 2011, sendo essa a classe pioneira no país. A equipe da instituição internacional aponta que o programa na Holanda teve início em 1993 com a característica de atender profissionais da área de saúde em todo o mundo e se tornar referência. “As classes normalmente atendem de 20 a 25 estudantes que vêm de vários países para a instituição na Holanda. A fim de tornar esse aprendizado mais próximo à realidade de cada região do globo, foram criados centros de aprendizado espalhados em regiões como o Egito, Canadá, Holanda e, agora, na ESCS, que irá atender ao Brasil e região”, declarou o ex-diretor do Programa da UM.


Renata Madeira