Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/04/14 às 19h13 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Especialista esclarece dúvidas frequentes na gravidez

Ganho de peso e a prática de exercícios são questionamentos comuns

O corpo da gestante passa por diversas mudanças hormonais durante a gravidez. Muitas dessas mudanças são normais e não devem causar alarde. O ganho de peso, por exemplo, é um fator comum em todas as mulheres. A ginecologista e obstetra do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), Lucila Nagata, fala sobre quando é plausível se preocupar com o engordamento. “A média de ganho de peso é de 9 a 12kg durante toda a gestação. Caso o peso esteja abaixo desse padrão, podemos recomendar que a gestante ganhe mais peso. Se ela estiver muito acima dessa margem também indicamos dietas, não para perder peso exatamente, mas para que não continue a engordar”, explica a médica.

De acordo com Lucila, existem períodos da gravidez em que a mulher tende a engordar mais. “Geralmente, os três primeiros meses são acompanhados de náuseas, e por conta disso a mulher não ganha peso. Do quarto ao sexto mês o apetite retorna com muita força e é nesse período que a gestante costuma engordar. Já nos ultimo trimestre as náuseas tendem a voltar por conta da compressão do útero sobre o estômago, então a falta de vontade de comer retorna”, explica.

A atividade física durante a gravidez também é outro fator de dúvida entre muitas gestantes. Lucila explica que não é preciso interrompê-la por completo, e sim adaptar os exercícios praticados à nova realidade. “Se a paciente gostava de musculação, por exemplo, diminuímos a carga, com o intuito de manter o tônus, mas não ganhar mais massa muscular. No caso de exercícios aeróbicos, diminuímos o ritmo para que a frequência cardíaca não ultrapasse a fase de queima de gordura, pois isso pode afetar as calorias que iriam para o bebê”, complementa.

Para as gestantes que pretendem começar a fazer atividade física por conta da gravidez, a orientação é que se espere o terceiro mês para iniciá-la. Os exercícios podem variar desde caminhadas, hidroginástica, yoga, pilates e natação. Caso a mulher apresente qualquer dor intensa ou sangramento durante os treinos em alguma fase da gravidez, a atividade deve ser suspenso.

A atividade sexual também não precisa ser suspensa por conta da gravidez. O único empecilho, em casos normais, é o tamanho da barriga da gestante que pode atrapalhar conforme o tempo de gestação. Nos casos de dor ou sangramento, a atividade sexual deve ser interrompida e um médico precisa ser consultado.

Paulo Cronemberger, da Agência Saúde DF