Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/10/15 às 19h07 - Atualizado em 30/10/18 às 15h13

Febre Amarela é o tema do “Ciclo de Debates” da Divep deste mês

COMPARTILHAR

Servidores da vigilância epidemiológica e ambiental participaram da discussão

BRASÍLIA (14/10/15) – A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) promove mensalmente um “Ciclo de Debates”, cujo objeto é discutir assuntos diferentes a cada encontro. O tema deste mês foi “Vigilância das Epizootias e Febre Amarela no Brasil”, que contou com a participação de Daniel Garkauskas Ramos, representante do Grupo Técnico de Vigilância das Arboviroses do Ministério da Saúde.

O debate, que foi realizado durante a manhã desta terça-feira (13), no auditório da SVS, teve como público servidores da Divep e da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), que lidam diretamente com enfermidades contagiosas que atacam um número inusitado de animais ao mesmo tempo e na mesma região e que se propaga com rapidez (epizootias).

Segundo Ramos, o Brasil registrou, durante esse ano, sete casos de febre amarela. Desses, cinco aconteceram em locais turísticos, como Alto Paraíso – GO. Por isso, o Ministério da Saúde pretende criar estratégias específicas para atingir os viajantes. “Temos que pensar em como trabalhar com essas situações. Quando as pessoas viajam para outros países elas buscam saber quais vacinas devem tomar antes, já quando viajam para dentro do Brasil, a preocupação não é a mesma”.

De janeiro a setembro de 2015 foram atendidos, na rede de saúde do DF, três casos confirmados de febre amarela em humanos, com transmissão no estado de Goiás (Alto Paraíso, São Miguel do Araguaia e Alexânia). O último caso de febre amarela contraído no DF foi em 2010.

VACINAÇÃO – A vacina contra a Febre Amarela está disponível em todas as unidades de saúde do DF. A vacina é aplicada aos nove meses de idade, com um reforço aos quatro anos. Crianças e adultos que nunca receberam a dose da febre amarela e vão a áreas de risco devem ser vacinados, pelo menos, 10 dias antes, para serem considerados imunizados.

“A vacinação é sempre a melhor forma de prevenção. Portanto, é importante que as pessoas fiquem atentas ao seu cartão de vacinação. Para a febre amarela é necessário constar duas doses. Quem não tem nenhuma dose deve procurar um centro de saúde para se vacinar e, após 10 anos, voltar para tomar a segunda dose”, destaca a diretora da Divep, Cristina Segatto.