Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/06/13 às 12h49 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

GDF garante isonomia de carga horária para servidores

COMPARTILHAR

Garantida a incorporação da Gratificação de Atividade Técnico- administrativa (Gata) e a redução da carga horária

O secretário de Administração Pública do GDF, Wilmar Lacerda; o secretário-adjunto de Saúde, Elias Miziara; e representantes dos sindicatos da área da saúde fizeram mais uma rodada de discussão sobre o Plano de Cargos e Salários dos servidores da SES na manhã de quarta-feira (19), na Mesa de Negociação do SUS-DF.

Após ouvir as reivindicações das diversas categorias que formam o quadro de pessoal da SES, Lacerda destacou a necessidade de se avançar no debate para que as negociações cheguem ao um consenso. Segundo ele, o governo vai garantir a incorporação da Gratificação de Atividade Técnico- administrativa (Gata) e a redução da carga horária para os trabalhadores de nível médio que possuem 30 ou 24 horas semanais de trabalho.

A proposta do GDF é promover a isonomia entre as várias categorias da SES a partir do próximo ano. “Infelizmente o governo não tem condições de absorver esse custo agora. Vamos começar com quem é mais prejudicado, que são aqueles que fazem hoje 30 horas semanais”, disse. Ao todo devem ser beneficiadas 104 categorias.

Segundo Lacerda, quem tem 30 horas passará para 24 horas em setembro de 2014. Quem faz atualmente 24 horas terá a carga horária reduzida para 20 em setembro de 2015 e aqueles que trabalharem 24 horas em 2015, passarão a cumprir 20 horas em 2016. O secretario garantiu, ainda, que nenhum direito dos servidores será retirado.

De acordo com o secretario-adjunto de saúde, Elias Miziara, a reunião foi um momento para discutir melhorias para os servidores da casa. “Estamos construindo um novo momento nesta discussão que irá implantar a isonomia na carga horária para todos os servidores da Saúde”, enfatizou.

Vários sindicalistas cobraram mais agilidade na construção do plano de carreira. Eles querem que seja estipulada uma data limite para o governo apresentar uma minuta do projeto de lei sobre o tema.

Estiveram na reunião os representantes do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem (Sindate), do Conselho de Saúde, Sindicato dos Enfermeiros (SEDF), Sindicato dos Biomédicos, Sindicato dos Odontólogos (SODF), Sindicato dos Farmacêuticos (Sindifar), Sindicato dos Agentes de Vigilância Ambiental em Saúde (Sindivacs), Sindicato e Sindicato dos Médicos e Sindsaúde.