Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/05/13 às 18h00 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Gerência de Zoonoses realiza 378 testes rápidos de Leishmaniose no Lago Norte e Varjão

COMPARTILHAR

Próxima ação será em Sobradinho

Fotos: Renato Araújo

Mais uma ação da Campanha de Combate à Leishmaniose Visceral foi realizada no último fim de semana no Lago Norte e no Varjão, onde foram realizados 378 testes rápidos para leishmaniose visceral canina, cujo resultado fica pronto em 20 minutos.

Dos 78 testes rápidos feitos na tenda montada no estacionamento do Shopping Deck Norte, no Lago Norte, 19 apresentaram resultado reagente para leishmaniose, enquanto no serviço instalado no estacionamento público em frente ao centro de saúde nº 16 do Varjão foram 15 resultados reagentes. Nestes casos, explica o veterinário da Zoonoses, Laurício Monteiro, é feita nova coleta de sangue para realização do exame chamado de prova confirmatória e o resultado é conhecido em oito dias.

Além dos testes rápidos, foram aplicadas 60 vacinas contra raiva em cães e gatos do Lago Norte e 450 no Varjão. “É uma oportunidade de obter informações sobre a leishmaniose, além de fazer o teste que tem resultado rápido”, disse o morador do Lago Norte Pedro Ramos, que levou o cachorro à tenda montada no Shopping Deck Norte.

A próxima ação da Campanha de Combate à Leishmaniose Visceral, lançada em abril, será em Sobradinho. O objetivo do Governo é reduzir a incidência da doença em todo o Distrito Federal, por meio da conscientização sobre a transmissão.

Desde o início da campanha, em abril, foram feitas 740 coletas de sangue e diagnósticos para leishmaniose e 844 animais foram vacinados contra a raiva. Entre os 740 diagnósticos realizados durante as ações, foram detectados 78 possíveis casos de leishmaniose.

Sintomas da leishmaniose – os principais sintomas da leishmaniose no animal são perda de apetite, feridas no corpo, unhas crescidas, queda de pelos e secreção nos olhos.

Medidas de proteção individual:

-Evitar ambientes externos no período de atividade do mosquito (crepuscular e noturno);
– Utilizar calças compridas e camisas de mangas compridas nos horários crespusculares e noturnos;
-Procurar um médico veterinário caso haja suspeita de cão doente;
– Recolhimento dos cães com exames laboratoriais positivos para leishmaniose; não transferir ou adquirir cães de outras áreas, principalmente, quando de regiões endêmicas como Piauí, Ceará, Bahia, Maranhão, Minas Gerais (Unaí, Paracatu, Belo Horizonte, Montes Claros etc.), Mato Grosso do Sul (Campo Grande), Tocantins, entre outros.

Medidas ambientais:
– Podar as árvores evitando o sombreamento excessivo.
– Limpar os quintais e jardins e aparar os gramados. Os restos de poda e da limpeza do terreno, bem como, as folhas e as frutas caídas no chão devem ser acondicionadas em sacos plásticos e disponibilizadas para a coleta pública.
-Evitar criação de aves, principalmente em áreas urbanas.

ATENÇÃO
Caso seu cão tenha obtido resultado reagente para leishmaniose, leia atentamente o laudo de exame laboratorial e entre em contato com a Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) pelos telefones: 3343-8803 ou 3343-8804.