Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/09/15 às 22h42 - Atualizado em 30/10/18 às 15h13

Gestão da pediatria do Base será feita pela Hospital da Criança a partir de janeiro

Medida visa melhorar a qualidade de atendimento à população

BRASÍLIA (30/9/15) – A transferência de gestão da pediatria do Hospital de Base para o Hospital da Criança, medida prevista em contrato firmado em 2011, será antecipada. O processo aconteceria somente em outubro de 2016, mas deve ser iniciado em janeiro. O anúncio foi feito, nesta quarta-feira (30), pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e pelo secretário de Saúde, Fábio Gondim.

“O objetivo é melhorar a qualidade do atendimento prestado à população. Lembramos que o Hospital da Criança é um hospital público, administrado por uma organização social. Ele administra tudo com recursos públicos e presta contas desse atendimento”, ressaltou o governador.

Segundo Fábio Gondim, essa antecipação visa oferecer o mesmo serviço de qualidade do Hospital da Criança a todos os pacientes de pediatria. “Será bom para o governo, para o servidor e para a população”, destacou o secretário de Saúde.
Gondim aproveitou a oportunidade para frisar que não há qualquer movimentação desta gestão para privatizar o Hospital de Base. A unidade de saúde apenas receberá reforço de trabalhadores na área de pediatria. A intenção é que os profissionais do Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (Icipe) se ambientem com a rotina de alta complexidade do Base enquanto ocorre a construção do bloco II do Hospital da Criança.

No fim de 2016, quando a obra for entregue, profissionais do Base e do Icipe trabalharão em conjunto, no Hospital da Criança, e o local onde atualmente funciona a pediatria no Base será utilizado para a expansão de outros serviços.

HOSPITAL DA CRIANÇA – O bloco II teve investimento de R$ 82 milhões do Governo de Brasília e US$10,5 milhões da Organização Mundial da Família, ligada a Organização das Nações Unidas (ONU). Ele terá 22 mil metros quadrados.

Com o novo bloco, o DF será referência no Centro-Oeste em transplantes infantis, tratamento de hemopatias (doenças do sangue) e câncer. Além disso, os 164 leitos para a internação representam um aumento de 28% no número de vagas em toda a rede. Já os 38 leitos de UTI pediátrica significam um salto de 59%, uma vez que atualmente a rede só possui 64 vagas.

Atualmente, o repasse mensal feito pela Secretaria de Saúde para o Icipe é de R$ 7,2 milhões. O valor deve subir para aproximadamente R$ 11 milhões quando as novas instalações forem concluídas. Segundo o diretor do Hospital da Criança, Renilson Rehem, todo o dinheiro que não é usado na gestão da unidade é devolvido à Secretaria de Saúde, já que o Icipe é uma organização sem fins lucrativos . “Nos corredores do hospital temos informativos com a prestação de contas”, complementou.