Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/05/14 às 15h19 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

HBDF possui ambulatório para pacientes com fibromialgia

Doença é comum em mulheres com idade entre 30 e 55 anos

O Hospital de Base do Distrito Federal oferece há cerca de 10 anos um ambulatório para pacientes com fibromialgia, que funciona todas as segundas-feiras à tarde. Em média, 10 pacientes são atendidos por semana. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Reumatologia, a doença é frequente no Brasil e afeta entre 2% e 3% da população.

A Fibromialgia é uma síndrome clínica que se manifesta, principalmente, com dor em todo o corpo. A coordenadora de Reumatologia do HBDF e da Secretaria de Saúde, Jamille Cordeiro, explica quais são os sintomas da enfermidade. “Os pacientes costumam dizer que não há nenhum lugar do corpo que não doa. Junto com a dor, surgem sintomas como fadiga, sono excessivo e outras alterações como problemas de memória e concentração, ansiedade, depressão e dores de cabeça”, ressalta. Uma característica da pessoa que possui a doença é a grande sensibilidade ao toque e à compreensão de pontos no corpo.

O ambulatório faz o acompanhamento dos pacientes já diagnosticados com o problema, ajudando-os a ter um controle da doença. “A fibromialgia não deve ser encarada como uma doença que necessita de tratamento, mas sim como uma condição clínica que requer controle. O tratamento da fibromialgia depende muito do paciente. O médico deve atuar mais como um guia do que somente uma pessoa que fornece remédios”, explica Jamille Cordeiro.

A principal forma de controle da doença é por meio da realização de exercícios físicos que vai fazer com que o cérebro libere substâncias que irão aliviar as dores. Existe, também, o tratamento com medicamentos analgésicos e antidepressivos, uma vez que a enfermidade pode afetar a saúde emocional dos pacientes.

Ainda de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Reumatologia, a doença acomete mais mulheres que homens e costuma surgir entre 30 e 55 anos. Porém, existem casos em pessoas mais velhas e também em crianças e adolescentes. O diagnóstico é totalmente clínico e feito por meio dos sintomas e sinais.

O paciente que tiver os sintomas deve procurar um clínico geral que irá detectar a doença e fazer um encaminhamento para um reumatologista. As unidades de saúde que possuem a especialidade são: HRGU, HRT, HRS, HRC, HRAN, HRPA, HRSM e Centro de Saúde do Núcleo Bandeirante.

Por Bianca Lima, da Agência Saúde DF