Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/11/15 às 18h24 - Atualizado em 30/10/18 às 15h13

Hospital Materno Infantil celebra quase meio século de existência

Solenidade teve apresentação de banda de música e corte de bolo

BRASÍLIA (18/11/15) – O Hospital Materno Infantil (Hmib) comemora quase meio século de existência. A programação, nesta quarta-feira (18), foi iniciada com a apresentação da banda do Exército Dragões Império do Som e foi encerrada com corte de bolo para os participantes.

Para o secretário de Saúde, Fábio Gondim, a unidade tem grande importância, porque é referência no atendimento dos casos mais complexos que envolvem uma parte frágil da população: gestantes e crianças.

“O Hmib tem todo o nosso apoio para fortalecer os serviços, mesmo diante de um momento em que enfrentando grandes dificuldades”, disse, ao lembrar que visitou a unidade na semana passada para avaliar a prestação dos serviços.

A diretora do hospital, Martha Viera, lembrou que a estrutura originalmente se chamava Hospital Regional da Asa Sul (Hras). Criado em 22 de novembro de 1966, esse foi o segundo hospital instituído no DF, sendo o Base a primeira unidade de saúde da capital.

“Ao longo dos anos, o hospital passou a ser referência para o público materno-infantil. Hoje, oferecemos atendimentos dedicados à área da mulher, incluindo os cuidados com sua saúde reprodutiva, e também com a criança, desde antes do seu nascimento”, destacou.

SERVIÇOS – Além de possuir a maior Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal da América Latina, a unidade oferece atendimentos de ponta na área de obstetrícia, medicina fetal, neonatologia, neurologia pediátrica, cirurgia pediátrica (incluindo em recém-nascidos) e todas as emergências cirúrgicas infantis, exceto trauma. São três UTIs: pediátrica, materna e neonatal, sendo essa última com 46 leitos, por isso, o maior da América Latina.

De janeiro a julho deste ano, o Hmib realizou mais de 96 mil consultas, sendo 51 mil ambulatoriais e 44 mil emergenciais na ginecologia/obstetrícia e pediatria. Também foram feitos mais de 479 mil exames, 9,4 mil internações, 3,5 mil procedimentos cirúrgicos, além de 1,6 mil partos. “Nós saímos da linha de se destacar mais pelo grande número de partos, mas entramos nas estatísticas de grandes realizações de partos de alta complexidade”, disse a diretora.

Galeria de fotos