Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/10/15 às 18h20 - Atualizado em 30/10/18 às 15h13

HMIB promove evento para pais de portadores de epilepsia

Encontro falará sobre benefícios da dieta cetogênica

BRASÍLIA (13/10/15) – O Ambulatório de Dieta Cetogênica do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) promoverá, no próximo dia 26, uma reunião sobre o assunto, voltada para pais de crianças com epilepsia de difícil controle. O encontro, gratuito, será às 18h, no auditório da Coreme, no hospital. Interessados devem fazer a inscrição via e-mail: adchmib@gmail.com.

“O evento consiste na apresentação de uma opção terapêutica para epilepsias refratárias. Vamos mostrar o funcionamento da dieta, o que é necessário para inicia-la, os efeitos colaterais e os resultados na literatura”, detalha a neuropediatra responsável pela reunião, Ludmila Uchôa.

Segundo a profissional, a dieta cetogênica faz parte do rol de demandas dos tratamentos existentes para Epilepsia Refratária no Distrito Federal. “A iniciativa surgiu após vivenciarmos no cotidiano de um hospital infantil momentos de muita angústia, traduzidos em crianças em estado de mal epiléptico refratário a todas medicações disponíveis, além de crianças com reações alérgicas aos anticonvulsivantes, e que a única opção foi a dieta cetogênica”, explica.

Ludmila Uchôa ressalta que mais de 50% das crianças reduzem suas crises ao iniciarem a dieta cetogênica. “Isto significa uma importância inestimável na qualidade de vida social, psíquica e econômica na família destas crianças. Evita gasto com muitas medicações, descompensações com infecções, internações, necessidade de UTI para tratar o estado de mal epiléptico, quando estas convulsões não cessam”, completa.

O QUE É – A dieta cetogênica leva à produção de corpos cetônicos, através do aumento da ingestão de alimentos ricos em gorduras. Esses corpos cetônicos serão a nova fonte de energia para as células do cérebro, e, ainda sem mecanismo definido, o seu uso leva à diminuição das crises epilépticas e, em alguns casos, elas cessam completamente.

A dieta tem alguns efeitos colaterais e por isso o acompanhamento regular com neuropediatra e nutricionista é fundamental. A família precisa estar comprometida com a dieta, pois é calculada de acordo com as necessidades de cada criança, isto é, ela é individualizada.