Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/08/19 às 18h07 - Atualizado em 14/08/19 às 18h15

Hmib promove ‘Tarde Dourada’ para comemorar o mês da amamentação

Além de informações, mamães ganharam dia de princesa

 

Gestantes, puérperas e mães que acompanham os filhos internados no Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) tiveram uma tarde especial na unidade, nesta quarta-feira (14), com a programação do Agosto Dourado, mês da amamentação. O evento, intitulado “Tarde Dourada”, levou informações sobre amamentação, doação de leite materno e a importância do contato pele a pele entre a mãe o bebê.

 

Na oportunidade, as participantes assistiram a alguns vídeos explicativos e também puderam ver como fazer a coleta do leite materno para doação. Ana Cláudia Vasconcelos, chefe do Núcleo de Banco de Leite Humano do Hmib, fez a demonstração, explicando o passo a passo de como coletar e doar.

 

“Não é necessário que a mulher tenha uma produção excessiva de leite para se tornar doadora. É importante enfatizar que um litro de leite materno doado pode alimentar até dez recém-nascidos. A produção do leite humano segue a seguinte premissa: quanto mais leite é retirado, mais é produzido”, explicou.

 

Para a enfermeira e coordenadora da Iniciativa Hospital Amigo da Criança (Ihac/Hmib), Daniela Moraes, é “sempre oportuno poder levar informações sobre a importância do leite materno, da doação, do contato da mãe com o recém-nascido”.

 

ASSISTÊNCIA – Grávida de seis meses do Miguel, Fernanda Lins está internada há alguns dias na unidade e vai ficar até que o bebê nasça, por conta de um problema chamado bolsa rota, que é quando a membrana amniótica se rompe sem que a mulher esteja em trabalho de parto. Ela achou a iniciativa bastante importante.

 

“Aprendi muito sobre o quanto é fundamental o leite materno para os prematuros. É dele que eles tiram tudo para crescer e ganhar peso”.

 

Para Gabriela Soares, grávida de 6 meses do Rafael, que também vai precisar ficar no hospital até ele nascer, aprovou a iniciativa do evento. “A gente que precisa ficar muitos meses internada, encontra, em momentos assim, força para não desistir. Ajuda a passar o tempo, faz com que a gente aprenda bastante sobre ser mãe e nos acalma”.

 

APOIO – O Grupo Rompendo Mais Fronteiras, entidade sem fins lucrativos, deu todo o apoio à equipe de profissionais do Hmib para que a Tarde Dourada tivesse o objetivo esperado. Levaram doações de kits de higiene, ofereceram lanche para todas as participantes e ainda confeccionaram e doaram tops no Centro Obstétrico (CO) para que as mães tenham mais conforto na hora do contato ‘pele a pele’ com os recém-nascidos.

 

A coordenadora da entidade, Tatiana Alvim, se emocionou durante os vídeos e os depoimentos das mães e confessou que voltou no tempo e bateu aquela saudade. “Eu tive dois filhos e, ouvindo e vendo tudo o que vivi aqui, não tive como não me lembrar de tudo o que envolve a amamentação, a doação, a troca. Foi uma tarde bem especial”.

 

Presente ao evento, Sharlene Lima acabou de ter o terceiro filho, Théo Abner, e falou um pouco sobre a importância de doar leite, sempre que possível. “Eu produzi bastante leite nas minhas duas primeiras gestações. Fiz questão de doar o quanto podia para as crianças que precisavam. Desta vez, é o meu bebê que está precisando de doação, já que estou tomando um medicamento bastante forte, que me impede de amamenta-lo”.

 

Para finalizar a Tarde Dourada, as mamães tiveram horas de princesa, como elas costumam chamar. Com cabelos cortados, escovados, penteados, maquiagem feita, unhas pintadas, todas voltaram para seus leitos com sorriso nos lábios.

 

Janiara Lara, da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF