Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/12/13 às 19h52 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Homens também são vítimas da anorexia

Neste ano, 20 casos foram atendidos no Centro de Orientação Médica Psicopedagógica

A anorexia nervosa é uma disfunção alimentar, caracterizada por uma rígida e insuficiente dieta alimentar acarretando baixo peso corporal e estresse físico. A doença envolve fatores psicológicos, fisiológicos e sociais e afeta principalmente adolescentes, sendo cerca de 90% do sexo feminino. Por isso, homens com sintomas de anorexia têm dificuldades em procurar ajuda e diagnosticar a doença.

O Centro de Orientação Médica Psicopedagógica da SES/DF (COMPP-SES/DF) atende casos de anorexia e outros distúrbios alimentares que atingem jovens de ambos os sexos. Neste ano, foram 20 crianças e adolescentes atendidos com sintomas como perda de apetite, seletividade alimentar, queda de cabelo, sudorese, humor instável, baixo rendimento escolar, hipoglicemia, entre outros.

Segundo a nutricionista Graciane Carneiro, coordenadora dos grupos, o número de pacientes homens anoréxicos parece pequeno, mas ainda assim é preocupante, pois a doença geralmente é diagnosticada quando a pessoa está com um Índice de Massa Corpórea (IMC) inferior a 15 e isso pode levar a óbito, além de uma série de outros danos. “Um distúrbio alimentar pode trazer graves consequências para o desenvolvimento da criança. A falta de alimentação correta pode acarretar prejuízos cognitivos e até distúrbios de crescimento”, destaca a especialista Graciane.

Atualmente, a SES oferece o serviço “Grupo de Atenção para Transtornos Alimentares” (GATA), iniciado em fevereiro de 2007 para atender a demanda de crianças e adolescentes que sofrem de distúrbios alimentares. Os grupos são divididos em Transtornos de Alimentação Não Especificados (TANE); Transtornos de Compulsão Alimentar Periódica (TCAP), Anorexia e Bulimia.

A intenção do trabalho é conscientizar para a realidade social da doença em seus níveis: psicológico, social, fisiológico. E alguns casos, como se trata de transtornos tipicamente femininos, os homens acabam por não procurar ajuda.

A faixa etária mais comum de casos de anorexia no homem é de 12 a 20 anos de idade. Anorexia e bulimia podem provocar queda de cabelo, anemia, problemas renais, estomacais, cardíacos, entre outros.

Casos clínicos

O Centro atendeu recentemente um caso de um adolescente que foi vítima de abuso sexual. O adolescente começou a fazer restrição alimentar leve e chegou à restrição severa, com isso, perdeu 15 kg em 3 meses. Apresentou quadro de depressão, queda do rendimento escolar e algumas tentativas de suicídio. A família teve baixa adesão ao tratamento. Foram dois anos e meio de intervenção terapêutica quase diariamente.

Com muita dedicação, o paciente conseguiu minimizar os sintomas e conseguiu estudar. Ganhou peso novamente e hoje está bem e faz acompanhamento psicológico.

Grupos
O atendimento dos grupos é focado em crianças e adolescentes de até 21 anos de idade. Neste ano, os atendimentos semanais dos Grupos Terapêuticos Interdisciplinares foram:
– Grupo de Inapetentes (que não têm apetite) de 2 a 6 anos com 4 meninos e 1 menina;
– Grupo de Inapetentes de 7 a 12 anos: 2 meninos e 4 meninas;
-Grupo de Pais com 18 pessoas, em sua maioria mães, com pouca adesão paterna.
– Grupo de adolescentes de 13 a 21 anos: 2 meninas e 6 meninos;
– Grupo de Adolescentes de 13 a 21 anos com 2 meninos e 10 meninas;
– Grupo de Sobrepeso de 7 a 12 anos: com 4 meninos e 4 meninas;
– Grupo de 12 a 21 anos com 4 meninos e 1 menina.

Sintomas de anorexia
Perda de peso acentuada nos últimos 3 meses, perda de apetite, seletividade alimentar, queda de cabelo, sudorese, presença de lanugos (penugem em algumas partes do corpo), humor instável, baixo rendimento escolar, hipotensão, hipoglicemia, bradicardia, amenorréia (interrupção da menstruação nos casos de meninas), dentre outros

Perfil
As características mais comuns dos pacientes que apresentam este transtorno são :
– Viver em ambientes hostis (pode ser na própria família ou no meio social que frequentam: escolas, clubes, academias e outros);
– Possuem os conflitos internos inerentes à adolescência;
– São perfeccionistas;
– Têm necessidade de controlar o ambiente e o seu próprio corpo;
– Têm alto nível de irritabilidade; geralmente se isolam do convívio social, principalmente nas horas das refeições;
– Possuem distorção da auto-imagem corporal;
-Têm medo de engordar, utilizando-se de roupas mais largas.

Tratamento
O atendimento do COMPP é realizado por equipe multidisciplinar abrangendo as áreas de Nutrição, Psiquiatria, Psicologia, Educador Físico, Enfermagem, Endocrinologia e Serviço Social. A família deve se comprometer com o tratamento para que o mesmo seja eficaz. A equipe parte de uma abordagem sistêmica.

Os grupos de atenção são formados por 1 Nutricionista, 2 Psiquiatras, 2 Psicólogas, 1 Educadora Física e 1 Enfermeira.

Serviço
O Centro de Orientação Médica Psicopedagógica é localizado no SMHN – Qd :03 Bloco: A. Edifício COMPP – CEP:70710-100. O atendimento é feito por meio do Acolhimento Geral do COMPP que acontece às segundas -feiras, quartas-feiras e sextas-feiras, de manhã e à tarde, com número limitado de senhas, por ordem de chegada.

Por Alessandra Franco, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226