Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/08/19 às 10h18 - Atualizado em 5/08/19 às 11h35

Hospital da Criança recebe habilitação para fazer transplante de medula óssea

COMPARTILHAR

Nos últimos três anos, unidade preparou equipes para implantar o serviço no Distrito Federal

 

O Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) foi habilitado, pelo Ministério da Saúde, para realizar transplantes de medula óssea. A autorização foi concedida por meio da Portaria Nº 911, de 30 de julho de 2019, divulgada no Diário Oficial da União na manhã desta sexta-feira (2 de agosto).

 

Segundo a diretora técnica do HCB, Isis Magalhães, o Hospital almejava a realização deste tipo de procedimento. A Unidade de Internação do HCB, inaugurada em novembro de 2018, já previa dez leitos voltados especificamente ao transplante de medula óssea.

 

Magalhães explica que “é preciso uma estrutura tecnológica e expertise médica e de enfermagem – que é muito importante no serviço de medula óssea –, que requer anos de treinamento. Implantar o serviço de transplante de medula em um hospital pediátrico de alta complexidade é uma consequência natural. Nós já havíamos recebido as visitas de vistoria técnica da Central de Transplantes do Ministério da Saúde”.

 

Desde 2016, o HCB tem acompanhado mais de 90 crianças que passaram pelo transplante em outros estados do Brasil. Enquanto isso, o Hospital também estava em preparação para realizar o procedimento.

 

COMEÇO – “Nos últimos três anos, estruturamos um ambulatório para avaliar as indicações de crianças que eram elegíveis para o transplante e começamos a treinar a enfermagem e os médicos aqui do hospital, que fizeram treinamento em outros centros”, explica a diretora. Ela espera que os primeiros transplantes sejam feitos ainda neste ano.

 

Com a decisão do Ministério da Saúde, o HCB está autorizado a realizar os transplantes autogênicos. Nesta terapêutica, células formadoras do sangue são retiradas do próprio paciente e ficam preservadas enquanto ele passa por quimioterapia de condicionamento.

 

Ao final do tratamento quimioterápico, as células são devolvidas à criança, que permanece em ambiente apropriado até receber alta. Depois de voltar para casa, o paciente continua recebendo o acompanhamento do hospital e precisa usar medicação imunossupressora.

 

BENEFÍCIOS – A habilitação para o transplante beneficia não apenas as crianças com câncer, leucemia e linfoma, tratadas pela onco-hematologia, mas também as diagnosticadas com doenças congênitas, como imunodeficiências e anemia falciforme.

 

“O transplante é a única terapêutica para curar algumas doenças genéticas. Inclusive, há uma portaria ministerial reconhecendo a anemia falciforme como uma doença passível de cura pelo transplante de medula óssea”, reforça Magalhães.

 

O HCB faz parte da rede da Secretaria de Saúde do Distrito Federal e é administrado pelo Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada (Icipe). É um hospital público, de especialidades pediátricas, voltado ao tratamento de doenças que requerem uma assistência de alta complexidade.

 

O atendimento é feito para crianças encaminhadas pela Central de Regulação da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, que as direciona ao Hospital da Criança de Brasília.

 

Da Agência Saúde
Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF