Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/02/19 às 17h51 - Atualizado em 15/02/19 às 20h44

Hospital de Base promove oficina sobre higienização das mãos

 

O Instituto Hospital de Base realizou, nesta sexta-feira (15), a Oficina da Higienização das Mãos na Emergência e nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs). A atividade integra as ações destinadas a alcançar as seis metas internacionais para a segurança do paciente.

 

Ao longo do mês de fevereiro, essa mesma atividade já foi desenvolvida com os profissionais do ambulatório, do centro cirúrgico e UTIS. “Conseguimos fazer a dinâmica inclusive com os servidores do período noturno e, na próxima semana, realizaremos com o pessoal da Psiquiatria, Oncologia, Hematologia e Banco de Sangue”, explicou a chefe do Núcleo da Qualidade e Segurança do Paciente, Darlene Ferreira de Melo Costa.

 

A oficina começa com um jogo de perguntas e respostas referentes à meta que está sendo trabalhada. Após isso, o servidor deve higienizar as mãos, finalizando com o álcool gel. Após esse procedimento, as mãos são expostas à luz negra.

 

HIGIENIZAÇÃO – “Na caixa de luz negra, aparecem as partes onde as mãos não ficaram bem limpas, que são os locais onde o álcool gel não penetrou direito. Essas áreas ficam menos fosforescentes”, contou Darlene.

Durante o mês de janeiro, foi trabalhado, no hospital, a meta que trata da internação. As demais metas serão trabalhadas ao longo do ano.

 

SOBRE AS METAS – As seis metas internacionais de segurança do paciente foram estabelecidas pela Joint Commission International (JCI), em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

São elas: Identificar o paciente corretamente; melhorar a comunicação efetiva; melhorar a segurança dos medicamentos de alta vigilância; assegurar cirurgias com local de intervenção correto, procedimento correto e paciente correto; reduzir o risco de infecções associadas aos cuidados de saúde; e reduzir o risco de lesões ao paciente, decorrentes de quedas.

 

O objetivo dessas metas é promover melhorias específicas na segurança do paciente, por meio de estratégias que abordem aspectos problemáticos na assistência à saúde, apresentando soluções baseadas em evidências para esses problemas.

 

Recentemente, o Ministério da Saúde instituiu o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP), por meio da Portaria nº 529, de 1 de abril de 2013, que também define diretrizes importantes sobre essas metas.

 

 

Josiane Canterle, Da Agência Saúde 

Fotos: Divulgação/Saúde-DF