Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/10/12 às 16h21 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Hran avança para a modernização

COMPARTILHAR

Hospital já realizou 96.352 atendimentos de emergência este ano

 

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal divulga semanalmente balanços das ações desenvolvidas pelas Coordenações Regionais de Saúde. O objetivo é informar, por meio de entrevistas com os coordenadores, os projetos em andamento, obras executadas e serviços implantados para melhorar o atendimento ao paciente.

Regional de Saúde da Asa Norte

A Regional de Saúde da Asa Norte (Hran) é composta de um hospital, oito centros de saúde e um posto de saúde. A Regional é referência no tratamento de queimados, cirurgias plástica e bariátrica, odontologia e vacinas especiais para viajante, além de contar com atendimento de clinica médica em emergência no Plano Piloto.

De janeiro a julho de 2012, realizou 96.352 atendimentos de emergência nas clinicas: médica, ginecologia e obstetrícia, pediatria, cirurgia geral e odontologia. Só na clinica médica do pronto-socorro, foram atendidas 51.793 pacientes. O Hran dispõe de 400 leitos e uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com 10 leitos.

No ambulatório do Hran foram realizadas 72.325 consultas nas diversas especialidades como: cardiologia, dermatologia, alergia, endocrinologia, pneumologia, geriatria, ginecologia, odontologia, urologia, neurologia, psiquiatria, fisiatria, fisioterapia, medicina do trabalho, acupuntura, alto risco (pré-natal), mastologia, entre outras especialidades.

Durante 19 meses à frente da Coordenação da Regional de Saúde da Asa Norte, Paulo Feitosa vem trabalhando para a recuperação das instalações físicas do Hran e centros de saúde, bem como ampliando serviços com equipamentos modernos para melhor resolutividade dos procedimentos e melhores condições de trabalho e conforto para os usuários.

O Hran foi sede de mutirões nacionais de câncer de pele, reconstrução mamária, hérnia e oftalmológica.  Os Centros de Saúde 12, 13 e 14 tiveram suas áreas internas reformuladas com melhor utilização dos espaços físicos. Também recebeu mobiliário novo, pontos de informatização e recuperação hidráulica e elétrica.

Ascom – O que foi feito nesses 19 meses como coordenador da Regional de Saúde da Asa Norte?

Paulo Feitosa – Primeiramente organizamos e inauguramos o Centro de Estudo com local apropriado modernizado e informatizado, pois o Hran é um hospital de ensino com residência nas especialidades de anestesiologia, clinica médica, cirurgia geral, plástica, dermatologia, ginecologia e obstetrícia, pediatria, pneumologia, cirurgia urológica, enfermagem e nutrição, num total de 150 residentes.

Reformamos e adquirimos três autoclaves que oferecem cinco vezes mais capacidade de esterilização para a Central de Material Esterilizado (CME). Reformamos o pronto-socorro Obstétrico (PSO) com a troca de piso porcelanato e melhor distribuição dos espaços como sala de observação, sala de atendimento privativo durante o exame médico com consultórios individuais e sala de enfermagem.

Inauguramos o novo Núcleo de Nutrição Dietética; a nova unidade administrativa com a finalidade de aglutinar os setores administrativos como Núcleo de Procedimento de Contas (Nuproc) foi modernizado por meio da central de faturamento que tem a finalidade de computar com maior eficiência o faturamento real da Regional.

A Ouvidoria também ganhou uma sala com privacidade para solução das queixas e reclamações de pacientes. A aglutinação de setores junto à administração do hospital visa à modernização e informatização idealizada para atender o bloco assistencial com recursos humanos e material. Essa nova visão tem como finalidade criar uma nova concepção de gestão administrativa. Inauguramos a nova Unidade de Reumatologia, Neurologia, Reabilitação e Sono. Ampliação do espaço do serviço social próxima dos andares para melhor atendimento aos pacientes internados.

Ascom –  O Hran tem demanda reprimida em cirurgias?

Paulo Feitosa – Esse problema está sendo administrado com a inauguração do Bloco Cirúrgico Auxiliar que tem como impacto 25% da resolutividade das pequenas cirurgias bem como otimização dos horários para cirurgias eletivas. Criamos também, a nova Unidade de Gastroproctologia com equipamentos de última geração de endoscopia digestiva alta e baixa.

Ascom– Quais melhorias estão sendo oferecidas ao servidor e paciente?

Paulo Feitosa – Além da aquisição de aparelhos médico-hospitalar e consultórios independentes para realização da consulta e dos procedimentos, foram instalados bancos de espera para atendimento bem como melhores condições de trabalho para os servidores com aquisição de mobiliários, aparelhos de ar condicionado e novos pontos de rede de informatização. Os servidores plantonistas ganharam novo espaço no Refeitório que oferece uma vez por mês o almoço cultural, que tem como objetivo a integração e sociabilização. A Associação dos Portadores de Sequelas por Queimaduras presta uma parceria com a Regional na confecção de roupas especiais aos pacientes vítimas de queimaduras.

Ascom – O pronto-socorro passou por alguma reforma?

Paulo Feitosa – Promovemos importantes melhorias estruturais no PS com a criação de um laboratório de exame no local, novas salas de espera e novos consultórios. Estamos avançando na humanização e acolhimento do paciente do PS com mais conforto e privacidade para os pacientes alocados nas áreas de observação. Reestruturamos a parte técnica administrativa do hospital, além da criação de uma comissão de regulação de leitos com maior resolutividade clinica e drástica diminuição do tempo de internação hospitalar. Reestruturação técnica da clinica médica aumentando o número de leitos por especialidade.

Ascom – O Hran apresentava várias infiltrações de água e comprometimento nas instalações hidráulicas e elétricas. O que foi feito?

Paulo Feitosa – O sistema central passou por uma revisão total evitando pane no gerador. Esse sistema foi totalmente modernizado junto a CEB com a digitalização, podendo ser possível acionar da minha casa pelo controle remoto. Tecnicamente não existe a possibilidade de pane no sistema de distribuição elétrica. Também estamos trocando as lâmpadas e reatores do hospital. Foi instalado o sistema de segurança eletrônico em fase de ampliação da central de controle. O novo sistema hidráulico foi modernizado. O sistema de bombeamento de água permite que o hospital tenha abastecimento de água em suas caixas. O Hran também passou por impermeabilização predial e nas seis caixas d’água, uma obra que custou R$ 5 milhões aos cofres do GDF. Também, foram trocadas as antenas de para-raios e instalada outras antenas de interligação com o Sistema de Comunicação do Samu.

Ascom – Existe alguma obra em andamento?

Paulo Feitosa – Estamos iniciando a troca dos oito elevadores Acreditamos que dentro de três meses vamos ter dois elevadores funcionando o de roupa limpa e alimentação e o de roupa suja e transporte de cadáver. Os demais estão previstos para funcionar em março de 2013. Já está em fase de licitação a troca da escada rolante.

Ascom – Existem novos projetos?

Paulo Feitosa – Sim, estamos dando sequência – em fase de iniciação – a reforma do ambulatório do Hran com a construção das unidades de nefrologia, de cardiologia, de doenças torácicas e de infectologia totalizando 26 novos consultórios. Outras Unidades passaram por reformas como o ambulatório de dermatologia, com centro cirúrgico especifico; reforma da Unidade de Oftalmologia, com a construção de consultórios equipados com aparelhos de exame de ultima geração e sala cirúrgica especifica; reforma e modernização da Unidade de Queimados; reforma dos ambulatórios de endocrinologia, otorrinolaringologia, alergista, fonoaudiologia, geriatria, ginecologia, saúde mental e medicina do trabalho; aumento da capacidade e complexidade cirúrgica do Bloco Cirúrgico Auxiliar; reforma da Vigilância Epidemiológica e da Gerência de Regulação Controle e Avaliação (GRCA); reforma do Banco de Sangue e Unidade de Hematologia; reforma da Unidade do Núcleo de Anatomia Patológica e do Núcleo de Radiologia e Imagem; reforma e adequação com a criação de salas vermelhas no Box de Clinica Médica e Cirurgia Geral; reforma, ampliação e implementação de tecnologia na Unidade de Cirurgia Geral do PS; reforma e implementação de tecnologia na Unidade de Pediatria; ampliação do ambulatório de atendimento a mulheres vítimas de violência – Projeto Margarida – e de crianças por maus tratos com atendimento de equipe multiprofissional (médicos, psicólogos e enfermeiros); ampliação da Unidade de Cirurgia Bariátrica com equipamentos modernos. Vamos também redistribuir melhor os espaços existente na Regional com abertura, reforma e apropriação de várias salas nas unidades de internação (andares) que servem de repouso, salas de aula aumentando o número de leitos.

Ascom – Para finalizar, o que mais pode ser anunciado?

Paulo Feitosa – Estamos em fase de implantação a reforma das entradas do Hran, com a colocação de alambrados na parte externa do hospital, com guaridas para melhor controle de pacientes e segurança dos servidores. Estamos providenciando a aquisição de 27 bebedouros com adaptação para crianças e pacientes portadores de necessidades especiais. A Secretaria de Saúde tem investido em equipamentos de última geração que possibilitam a modernização dos procedimentos clínicos e o avanço da tecnologia por meio da informatização. Só em computadores de alta geração, o Hran, recebeu 493 unidades e existe a possibilidade de mais aquisição.

Júlio Duarte – SES/DF