Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/05/19 às 12h16 - Atualizado em 8/05/19 às 12h54

Hospital Regional de Taguatinga realiza mais de 100 cirurgias de catarata em um mês

 

Objetivo da ação é reduzir a fila de espera e beneficiar o cidadão

 

A força-tarefa de cirurgias para retirada de catarata encerrou o primeiro mês de atuação com 109 pacientes atendidos no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), o dobro do mês anterior, quando não havia esta iniciativa. O objetivo da ação, de acordo com a direção da unidade e a Superintendência da Região de Saúde Sudoeste, é reduzir a fila de espera pelo procedimento, que, atualmente, registra 1.000 pacientes.

 

Eliana Maria Carvalho Costa, de 60 anos, foi uma das beneficiadas. Ela esperou por dois anos para realizar o procedimento. No início do mês de abril, ela recebeu a ligação do hospital para pegar os pedidos de exames.

 

Em menos de 30 dias, Eliana retirou a opacidade que já atrapalhava a visão dos dois olhos. “Estou enxergando melhor as letrinhas, principalmente de perto, e espero melhorar mais ainda”, disse ela, satisfeita com o atendimento recebido.

 

O mesmo aconteceu com Teobalda Freire do Nascimento, de 74 anos. Aguardando pela cirurgia desde 2017, ela realizou a intervenção no mesmo dia que Eliana, e também sente a melhora na visão.

 

A força-tarefa é uma iniciativa da Oftalmologia do HRT, realizada com a intenção de dar celeridade aos procedimentos e beneficiar os pacientes que já estão na fila de espera.  Para alcançar esse objetivo, foram organizados três turnos extras de atendimento.

 

“Queremos diminuir a fila de espera. Com esses turnos que temos a mais é possível conseguir isso. Eu creio que vamos diminuir bastante a fila como um todo”, anseia o responsável técnico da Oftalmologia, José Alberto Paiva de Aguiar Júnior.

 

De acordo com a superintendente da Região de Saúde Sudoeste, Lucilene Florêncio, as cirurgias realizadas fazem parte das ações do SOS DF Saúde, viabilizadas pelo comprometimento e engajamento dos profissionais da unidade, com o apoio da Secretaria de Saúde.

 

A expectativa da gestora é aumentar ainda mais o quantitativo de procedimentos, uma vez que o HRT possui capacidade técnica para isto. Segundo Lucilene, a força-tarefa tem dado celeridade à realização dos procedimentos, uma vez que, em seu entendimento, a cirurgia tem impacto positivo na vida dos beneficiados.

 

“Os pacientes são idosos e têm dependência nas atividades diárias. Eles ficam dependentes da família para caminhar e para os afazeres. Quando fazem essa correção, melhoram a autoestima, saem bastante felizes, com um sorriso e brilho nos olhos. Começam a ter de volta a qualidade de vida e a independência, têm novamente a alegria de viver”, frisou a superintendente, orgulhosa com o trabalho realizado pelos servidores do hospital.

 

A orientação para quem necessita de cuidados oftalmológicos é procurar a unidade básica de saúde mais próxima de sua casa. Lá, será feito o encaminhamento conforme o problema do paciente. Somente com a consulta ao oftalmologista será realizado o diagnóstico e a prescrição para o procedimento indicado para cada caso.

 

SAIBA MAIS A catarata é uma doença dos olhos, que deixa a visão fica opaca. Ocorre principalmente em decorrência do envelhecimento. Porém, existem casos de catarata congênita (de nascença) ou provocada por fatores como exposição demasiada ao sol sem óculos apropriados. “O principal motivo do aparecimento da catarata é o envelhecimento do próprio organismo. É uma doença específica do idoso. Não quer dizer que o jovem não possa ter”, reforçou o médico.

 

Os sintomas mais comuns são visão nublada, sensibilidade à luz e necessidade de maior iluminação para ler, sendo que a visão noturna torna-se mais fraca e as cores tornam-se amareladas.

 

TIPOS DE CATARATA

 

Senil: é o tipo de catarata mais comum. Ocorre em pessoas idosas, geralmente após os 60 anos.

 

Congênita: a criança geralmente já nasce com catarata. Ocorre por doenças já existentes na mulher (como a rubéola e a toxoplasmose), durante a gravidez. Frequentemente, está acompanhada de outras alterações.

 

Traumática: ocorre após acidentes com o olho. Geralmente, é unilateral; o trauma, mesmo sem perfuração do olho, pode provocar a opacificação do cristalino.

 

Diabética: inicia-se, geralmente, em idade mais precoce e com perda visual mais rápida do que na senil.

 

Secundária a medicamentos: principalmente os corticoides, quando usados por longos períodos.

 

 

Josiane Canterle e Fábio Magalhães, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF