Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/04/16 às 19h00 - Atualizado em 30/10/18 às 15h14

Idosos e outros grupos serão vacinados contra H1N1 a partir de 30/4

Primeira etapa de vacinação só foi aberta para crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, mulheres até 45 dias pós-parto e profissionais de saúde

BRASÍLIA (19/4/16) – A população do Distrito Federal deve ficar atenta ao período de vacinação contra H1N1. Embora a campanha já tenha iniciado nesta segunda-feira (18), seis grupos só serão imunizados a partir do dia 30 de abril, quando será lançada a campanha nacional. Por isso, devem aguardar até o referido período pessoas com mais de 60 anos, povos indígenas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

A Secretaria de Saúde reforça que a antecipação atinge apenas os públicos que apresentam maior risco de adoecer, que são crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto e profissionais de saúde da rede pública e privada, os quais devem ter sua saúde preservada para garantir atendimento à população.

“Nós antecipamos a campanha em função da mudança do padrão do vírus, especificadamente, em relação a síndrome gripal e síndrome respiratória grave, já que tivemos aumento dos registros, inclusive, com casos de H1N1”, disse a diretora de Vigilância Epidemiológica e Imunização, da Subsecretaria de Vigilância à Saúde, Cristina Segatto.

Nesta primeira etapa, o público-alvo alvo é de 295 mil pessoas, mas a meta é fazer 609 mil imunizações até o fim da campanha, em 20 de maio. Para isso, a Secretaria de Saúde abriu 89 pontos de atendimento. Confira aqui a lista.

CUIDADOS – A população que ainda será vacinada e quem não faz parte do público-alvo da campanha também pode se prevenir de outras maneiras. A principal orientação é lavar as mãos com água e sabão com regularidade, evitar o contato com pessoas doentes e deixar locais arejados. Além disso, outra dica importante é nunca colocar as mãos na frente da boca para tossir, mas o antebraço. As mãos contaminadas contribuem para a dispersão dos vírus. Lenços também devem ser descartáveis e dispensados adequadamente em lixeiras.

SITUAÇÃO – Segundo a diretora de Vigilância Epidemiológica e Imunização, da Subsecretaria de Vigilância à Saúde, Cristina Segatto, houve 183 casos suspeitos da doença no Distrito Federal até o boletim epidemiológico da última sexta-feira (15). Desses, 45 foram confirmados, sendo 35 graves, e três casos evoluíram para óbito.

DOENÇA – Popularmente conhecida como gripe, a influenza pode ser transmitida por vários tipos de vírus. Os principais sintomas são febre em torno de 38 graus ou mais, dor no corpo, coriza e tosse seca. Quem apresenta esses sintomas deve aumentar a ingestão de líquido. Caso o quadro se agrave, inclusive com falta de ar, a orientação é procurar atendimento médico.