Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/10/12 às 14h45 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

SES realiza tratamento em câncer de próstata

COMPARTILHAR

No Distrito Federal, 91,1% dos pacientes em tratamento estão nessa faixa etária dos 60 anos

 

Dados do Núcleo de Autorização de Procedimentos de Alta Complexidade da Secretaria de Saúde do DF (NAPAC/ GAAC/SES-DF) apontam que 582 pacientes com diagnóstico de câncer de próstata possuem mais de 60 anos. Esse número equivale a 91,1% dos pacientes em tratamento na rede pública de saúde do DF. Na faixa etária entre 40 e 60 anos encontram-se 54 pacientes (8,5%), restando ainda três pacientes com idade inferior aos 40 anos. Cerca de 90% dos pacientes em tratamento residem no DF (569 pacientes), sendo que os 10% restantes informam domicílio em Goiás (65 pacientes) e Minas Gerais (cinco pacientes).

O câncer de próstata pode surgir em qualquer idade a partir de 35 a 40 anos de idade, com grande incidência entre 50 e 65/70 anos. A doença pode atingir o equivalente a 10% dos homens até 65 anos, a partir daí sua incidência vai aumentando. “Estudos demonstram que se todos os homens vivessem mais de 110/120 anos todos teriam câncer de próstata. Em compensação, geralmente, quanto mais tarde aparecer menos agressivo ele será”, afirma o coordenador de Urologia da SES/DF, Alberto Braga.

O diagnóstico definitivo do câncer de próstata só é possível com a realização de uma biópsia. A avaliação padrão para as doenças da próstata inclui: exame digital, por meio do toque retal; a dosagem, no sangue, do Antígeno Específico da Próstata (PSA) nas suas formas Total e Livre; o exame de urina (EAS); anamnese dirigida (histórico familiar, hábitos de vida, sintomas gerais, entre outros) e em alguns casos associa ainda o estudo ecográfico da glândula. Após essa avaliação, caso haja o diagnóstico presumível do câncer, é solicitada a biópsia para confirmação diagnóstica.

“Quando falamos em cânceres ou tumores malignos, o termo prevenção não é muito apropriado, sendo mais adequado utilizarmos em seu lugar fatores de riscos”, explica o coordenador. No caso de tumor de próstata, o especialista cita a idade, a raça, a história familiar e os níveis hormonais. “Há estudos que associam também com o meio ambiente e até mesmos com os hábitos alimentares, como dieta com alto teor de gordura”, comenta.

Sintoma e tratamento

“Infelizmente, o câncer de próstata não apresenta nenhuma sintomatologia específica na sua fase inicial. No momento em que surgem os sintomas específicos, a doença já se encontra em uma fase mais avançada”, relata o coordenador. Segundo ele, muitas vezes o paciente com câncer de próstata só procura atendimento médico quando apresenta dores ósseas, que está associado à metástases, quando o tumor já extrapolou os limites da glândula.

 De acordo com o especialista, o tratamento do câncer de próstata vai depender do momento em que o tumor for diagnosticado. Na sua fase inicial, quando há uma grande possibilidade de cura, é indicada a cirurgia denominada Prostatectomia Radical, ou a Radioterapia, sendo ambas realizadas pela SES/DF. “Nos casos de tumores mais avançados, o tratamento é hormonal, no intuito de reduzir ou suprimir os níveis circulantes dos andrógenos, que pode ser feito com medicamentos (antiandrogênicos) ou cirúrgico, também oferecidos pela SES/DF”, explica o coordenador.

Patrícia Kavamoto