Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/03/21 às 18h38 - Atualizado em 2/03/21 às 15h54

Mais de 65 mil idosos já foram vacinados no DF

COMPARTILHAR

Número considera aqueles que vivem em ILPIs, os de 76 anos ou mais e os que estão em internação domiciliar

 

JOHNNY BRAGA, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

Até a última sexta-feira (26), a Secretaria de Saúde vacinou 130.547 pessoas com a primeira dose da vacina que protege contra a Covid-19. Desse total, 65.216 são idosos e 64.735 são trabalhadores da saúde. Os dados são do boletim da vacinação publicado semanalmente na página Vacinômetro. Com a segunda dose, já foram imunizadas 43.225 pessoas do grupo prioritário, cuja maioria é trabalhador da Saúde, com 39.048 vacinados.

 

O balanço detalha o avanço da vacinação na capital federal desde o início dela. Até o momento, 4,27% população do DF receberam a primeira dose do imunizante. O DF aguarda a chegada de mais doses para ampliar a campanha de vacinação contemplando idosos com menos de 76 anos.

 

Do total de idosos vacinados, 48.024 estão na faixa etária acima dos 80 anos e 15.390 têm entre 75 e 79 anos. O balanço completo da primeira dose pode ser consultado na tabela abaixo:

 

 

A Secretaria de Saúde informa que os idosos pacientes do Núcleo Regional de Atendimento Domiciliar (Nrad) e em Home Care estão discriminados na tabela acima nas faixas etárias a qual pertencem, uma vez que no sistema de dados não há como incluir a categoria Nrad e Home Care. Os pacientes da internação domiciliar que têm entre 18 e 59 anos entram no grupo comorbidades no sistema de dados. É importante lembrar que, neste momento, quem tem comorbidades e não está em internação domiciliar ainda não está incluído no plano de vacinação.

 

Os dados da segunda dose podem ser consultados abaixo:

 

*ILPIs são Instituições de Longa Permanência para Idosos

 

Vacinação no DF

 

A vacinação no Distrito Federal começou no dia 19 de janeiro imunizando inicialmente os trabalhadores da saúde que estão na linha de frente nas redes pública e privada. Desde a última sexta-feira (26), os idosos com 76 anos ou mais passaram a integrar o grupo prioritário.

 

Para a campanha, o Distrito Federal já recebeu 240.060 doses das vacinas CoronaVac e Covishield. Da primeira, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, a capital federal recebeu, em quatro remessas, 173.560 doses. Da segunda, desenvolvida pela universidade inglesa de Oxford, com a farmacêutica sueco-britânica AstraZeneca, foram recebidas, em duas remessas, 66,5 mil doses.

 

Cerca de 5% das doses das vacinas são reservadas tecnicamente para repor eventuais perdas. A vacina CoronaVac tem intervalo de aplicação entre as doses de 14 a 28 dias. Devido a isso, metade das doses recebidas é reservada para a segunda aplicação. Já com a vacina de Oxford, esse intervalo é de até 90 dias. A recomendação do Ministério da Saúde é que sejam utilizadas todas doses da vacina de Oxford.

 

Reação à vacina

 

Até o dia 26 de fevereiro, a Secretaria de Saúde notificou 846 casos de Evento Adverso Pós Vacinação (EAPV) relacionados às vacinas contra a Covid-19, dos quais 553 foram associados à vacina CoronaVac e 293 à  Covishield. Do total de notificações, 48 foram consideradas EAPV. Nenhum evento adverso grave foi confirmado até o momento. Vermelhidão e dor no local de aplicação, dor de cabeça e febre são os principais eventos relatados pelos pacientes.

 

Apesar dos casos confirmados, as duas vacinas têm segurança comprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e é necessário que o paciente complete o ciclo de imunização com as duas doses das vacinas. A infectologista do Hospital Regional da Asa Norte Joana D’arc Gonçalves alerta para a necessidade do reforço da imunização. “Caso o indivíduo não tome a segunda dose, há o risco de não adquirir imunidade protetora contra o vírus. O que os estudos mostram é a necessidade da segunda dose, conforme o prescrito em bula. Até o momento não há evidência de que uma única dose seja suficiente”, destaca.

 

Qualquer sintoma apresentado pelo paciente após a administração da dose da vacina deve ser notificado imediatamente no mesmo ponto de vacinação em que tomou a dose.

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: