Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/01/12 às 17h42 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Método Canguru é tema de curso no HRT

COMPARTILHAR

Profissionais de diversas categorias participam até amanhã (1º de fevereiro) do Curso de Atenção Humanizada ao Recém-Nascido de Baixo Peso – Metodologia Canguru, no auditório do Hospital Regional de Taguatinga (HRT), cujo objetivo principal é garantir que a equipe multidisciplinar preste uma assistência de qualidade aos bebês de alto risco internados no hospital.

Segundo definição do Ministério da Saúde, o Método Canguru é um tipo de assistência neonatal que implica em contato pele a pele precoce, entre a mãe e o recém-nascido de baixo-peso, de forma crescente e pelo tempo que ambos entenderem ser prazeroso e suficiente, permitindo dessa forma uma participação maior dos pais no cuidado ao seu recém-nascido.

Entre as principais vantagens estão o aumento do vínculo entre a mãe e o bebê; a diminuição do tempo de internação na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e na Unidade de Cuidados Intermediários; melhora no relacionamento da família com a equipe de saúde; estimula a prática do aleitamento materno; diminuição da ocorrência de doenças e infecções hospitalares.

O Método Canguru foi introduzido no HRT na década de 1990, por isso é um dos 14 hospitais de referência no Brasil. Além da assistência na UTI neonatal, há uma enfermaria para as “mães canguru” e um ambulatório de acompanhamento após a alta hospitalar. A equipe multidisciplinar que cuida dos bebês de alto risco é composta por pediatras, intensivistas, neonatologistas, fisioterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e psicólogos.

Regina Medeiros Ascom/CGST