Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/01/15 às 10h23 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Câncer do colo do útero não apresenta sintomas em fase inicial

Mulheres em grupo de risco devem redobrar a atenção

BRASÍLIA (26/1/15) – Mulheres com idade entre 25 e 64 anos estão no grupo de risco de ter câncer do colo de útero e devem se preocupar em manter em dia os exames preventivos e a visita ao ginecologista. Mas alguns outros fatores aumentam ainda mais a chances de desenvolver a doença.

“Início precoce de relação sexual, múltiplos parceiro, baixa imunidade, tabagismo e infecção pelo HPV aumentam a probabilidade de a mulher ter o câncer”, enumera Sônia Maria Ferri, chefe do Núcleo de Detecção Precoce do Câncer da Secretaria de Saúde do DF. Ela destaca, porém, que não necessariamente todas as mulheres diagnosticadas com HPV irão desenvolver um câncer.

A doença, em fase inicial, é praticamente assintomática. “Às vezes a paciente pode apresentar um sangramento no ato da relação sexual”, diz Sônia Ferri. Numa fase mais avançada, a mulher pode ter dor e secreção vaginal com sangue e odor forte.

PRÉ- MALIGNIDADE- Antes de tornar-se, de fato, um câncer, a doença tem uma fase de pré-malignidade. Segundo Ferri, são lesões percursoras, que acometem somente a camada epitelial do colo do útero. “Tratadas precocemente, elas evitam a progressão para o câncer”, alerta a médica. Por isso a importância do exame Papanicolau.

Na rede pública de saúde do DF, a paciente faz o exame e quando detectada lesão precursora ou indicativo de câncer, o resultado é separado e encaminhado para a gerência de câncer da Secretaria de Saúde. “A gente mesmo agenda a consulta. Quando é somente lesão precursora, marcamos entre 10 e 30 dias depois do resultado. Quando tem diagnóstico de câncer, em 10 dias já está agendado”, explica Sônia Ferri.

Porém, há casos em que a Secretaria de Saúde não consegue entrar em contato com todas as pacientes diagnosticadas com o problema. Por isso, a importância de as mulheres que fizeram o Papanicolau na rede pública entrarem em contato no telefone 160 para conferir o resultado do exame.

AS MULHERES QUE JÁ REALIZARAM O EXAME, NA REDE PÚBLICA, E NÃO RECEBERAM O RESULTADO DA CITOLOGIA DEVEM LIGAR PARA O NÚMERO 160. 

Saiba mais

Prevenção aumenta cura de câncer de colo do útero

No DF, 804 mil mulheres têm mais chances de ter câncer do colo