Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/12/18 às 15h49 - Atualizado em 28/12/18 às 15h56

Informações sobre o HSVP

COMPARTILHAR

 

A  Secretaria de Saúde do DF esclarece que os pacientes acolhidos e participantes do Pronto-Socorro-Dia (PS-Dia), são os indivíduos que se encontram estabilizados em relação ao quadro psíquico grave inicial, estando mais cooperativos, calmos e organizados. A pasta admite que a estrutura física do hospital ainda não é a ideal, porém, acolhe, minimamente, o serviço.

 

É preciso esclarecer que a dinâmica de um hospital psiquiátrico é diferente de unidades comuns. Como os pacientes ficam livres, mesmo com desorganização mental e comportamental – característicos do quadro grave psiquiátrico –, por vezes sujam as paredes, derrubam alimentos no chão, tiram a roupa e deixam no chão. Por esse motivo, a equipe de limpeza segue uma rotina padronizada, com horários fixos, mas sempre disponível para qualquer ocorrência eventual.

 

Outro fato é que a permanência das camas forradas e arrumadas depende da ação dos próprios pacientes que, em diversos momentos do dia, desarrumam seus leitos, danificam lençóis. A SES destaca que o aparato de enxoval, composto por lençóis, toalhas, uniformes, cobertores, casacos, inclusive para obesos, está totalmente regularizado. Falhas, pontuais, aconteceram em alguns períodos do ano, mas compras recentes sanaram o problema e ainda permitiram reserva técnica de segurança.

 

A quantidade de camas e colchões disponíveis no hospital está de acordo com a quantidade de leitos inseridos no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. A direção do HSVP admite a necessidade de substituição dos leitos por opções mais adequados às especificidades dos pacientes e, por isso, foi elaborado projeto para aquisição de camas enviado à Gerência de Hotelaria. Importante frisar que também estão em curso projetos para aquisição de colchões com elevação ortopédica para cabeça e camas para as Unidades de Procedimentos Especiais (UPE).

 

 

Além do enxoval, os pacientes recebem todo suporte para sua higiene pessoal: chinelos, absorventes, calcinhas descartáveis, pente, creme hidratante, condicionador, shampoo, sabonete. Além dos kits para higiene dental.

 

No HSVP a contenção é pelo abraço!

Contenção Física de Pacientes

A contenção física (mecânica) é um ato médico, preconizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) – Resolução CFM nº 1952/2010 –, bem como, um ato do enfermeiro, normatizado pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) – Resolução Cofen nº 427/2012).

 

Toda prescrição de contenção segue o Protocolo de Contenção Física do HSVP, o qual é revisto anualmente. A equipe hospitalar recebe treinamento regularmente sempre zelando pela proteção do paciente, equipe, demais usuários e patrimônio público. Qualquer ato do tipo é realizado pelo menor tempo possível e envolve desde a primeira abordagem verbal com paciente, passando pelo preenchimento do Registro de Contenção Física e de Avaliação da Enfermagem, até a retirada, evolução em prontuário e notificação ao Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente.

 

Os vigilantes lotados no HSVP são treinados, orientados pela equipe e convidados a participar de eventos de ensino ministrados neste hospital. Como instrumento de trabalho preconizado, possuem um cassetete, de fato, contudo, apenas para casos extremos envolvendo cidadãos que queriam violar as leis vigentes, como cometer furtos ou roubos, agredir pessoas, depredar patrimônio público ou privado e etc. Nunca para uso contra os pacientes.

 

Todas as enfermarias da unidade possuem livre acesso às áreas verdes, sem cobertura, arborizadas, ventiladas, com entrada dos raios solares, nas quais os pacientes circulam espontaneamente. Nos casos em que o usuário adota uma atitude mais reclusa, mantendo-se na cama, ou somente na enfermaria, a equipe tem por conduta estimular a movimentação do mesmo, dando apoio para sua circulação na área verde, nas atividades externas e interativas.

 

A conduta dos profissionais lotados nesta instituição é pautada pela ética, pela humanização, pela qualidade, pela desinstitucionalização (internação mais breve e busca, por todos os meios possíveis para conseguir a saída do paciente do regime fechado), pelo respeito ao doente, sendo a contenção física o último recurso para a proteção de todos os envolvidos.

 

A qualidade do serviço prestado no HSVP pode ser comprovada através dos 119 elogios recebidos via Ouvidoria institucional, em especial aos servidores e aos atendimentos prestados.

 

Além disso, até outubro, 1943 internações, das quais 1339 (69%) duram menos de 15 dias – sendo a maioria, 433 (ou 22%), durando entre 8 e 14 dias – indicando qualidade no tratamento e descaracterizando atividade asilar ou manicomial. Apenas um paciente que está internado há mais de 10 anos, justamente e infelizmente por não ter sido capaz de se adaptar a outro ambiente, carecer de suporte familiar e entrar em surtos psicóticos, de extrema agressividade, constantes e intensos. Neste caso, a manutenção prolongada de sua internação é necessária para o seu bem-estar.

 

Dentre as atividades terapêuticas realizadas no HSVP durante a internação, estão:

– Estimulação cognitiva
– Reabilitação motora e física
– Atendimento individual e em grupo
– Atividades manuais, de lazer e físicas
– Oficinas terapêuticas
– Atividades psicoterápicas individuais, em grupos e familiares.

 

Além das terapêuticas, os pacientes realizam atividades sociais, lúdicas, musicais, festivas, comunitárias, reforçando a reintegração social e desmistificação quanto ao paciente psiquiátrico e a saúde mental.