Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/12/17 às 10h19 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

O crescente uso de antibióticos causa resistência microbiana

Vigilância Sanitária publica boletim sobre resistência antimicrobiana

BRASÍLIA (5/12/17) – A resistência microbiana ocorre quando micro-organismos que causam infecções sobrevivem à exposição de medicamentos que habitualmente seriam letais ou capazes de interromper o seu crescimento. O fenômeno permite que estes agentes infecciosos sejam capazes de sobreviver à exposição diante de uma medicação específica e se disseminar, inicialmente sem a competição de outras cepas. Trata-se de um fenômeno natural, observado rapidamente após o início do uso clínico de antibióticos, contudo, já foram identificados genes de resistência bacteriana existente há milhões de anos antes da era antibiótica.

Com a proposta de aprofundar o assunto, a Vigilância Sanitária produziu um boletim com informações sobre o tema. Intitulada Resistência aos Antimicropbianos em Debate, a publicação aborda variadas análises sobre o assunto, com opiniões de profissionais do segmento. 

Um conjunto de fatores contribui para que as bactérias alterem seus genes de forma a se tornar resistentes aos medicamentos. Os dois principais fatores são o mau uso e o uso abusivo dessa classe de medicamentos. Quanto ao mau uso, algumas pessoas têm o hábito interromper o tratamento com antimicrobianos quando se sentem bem clinicamente.

Tal ato implica no aumento da resistência devido ao uso clínico indevido dos antibióticos. Os pacientes não podem suspender o tratamento, é preciso um uso racional e coerente, de acordo com a prescrição médica. Mesmo quando há indicação para o antibiótico, é essencial saber com qual bactéria se está lidando.

Essa situação tem demandado ações em todos os segmentos que contribuem com a saúde pública com objetivo de assegurar o uso racional de antimicrobianos de forma a garantir um tratamento adequado para a população no que diz respeito a esses medicamentos. No âmbito da Vigilância Sanitária o uso racional de medicamentos extrapola os limites clínicos, porque o olhar sanitário inicia-se desde a produção e planejamento de um novo medicamento, seu controle de produção e acompanha todo o ciclo de vida desse medicamento, perpassando inclusive pelo descarte adequado dos antimicrobianos.

“Devemos estar cientes de que o combate a resistência antimicrobiana envolve o conceito de Saúde Única – One Health, no qual as saúdes humana, animal e ambiental são indissociáveis”, enfatizou o Diretor de Vigilância Sanitária, Manoel Silva Neto.