Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/04/14 às 11h42 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

SES comemora Dia da Conscientização do Ruído

COMPARTILHAR

Os impactos podem trazer prejuízos à longo prazo

Em comemoração ao Dia Internacional da Conscientização Sobre o Ruído, a Secretaria de Saúde (SES/DF) promove a campanha “O mundo na torcida por menos ruído”. A ideia foi adotar 60 segundos de silêncio, entre 14h25 e 14h26, desta quarta-feira (30) para alertar sobre os malefícios invisíveis do barulho.

No decorrer de toda a semana, a SES promove um movimento de conscientização em todas as regionais de saúde sobre os resquícios do ruído e os efeitos no corpo humano. A Unidade Mista de Taguatinga organiza uma exposição sobre os seus malefícios.

Os impactos do ruído podem trazer prejuízos à longo prazo, se levarmos em conta que seus efeitos podem não ser imediatos e sim cumulativos. Eles dependem do nível de pressão sonora, tempo de exposição ao barulho e a predisposição pessoal de cada um. O excesso de som pode provocar zumbido, insônia, contração de vasos sanguíneos, dilatação da pupila, dor de cabeça, alteração de batimentos cardíacos, contração do estômago e abdômen, reação muscular, aumento da produção de hormônios como tireóide, adrenalina e corticotrofina.

Esta campanha do International Noise Awareness Day (INAD) surgiu há 15 anos para alertar sobre essa agressão aparentemente invisível. “O foco da campanha está no contingente que trabalha em ambiente com ruídos constantes. Como os efeitos são cumulativos, as perdas podem ser gradual e permanentes”, disse a coordenadora de fonoaudiologia da SES/DF, Christianny Maria Lima.

Para que não haja muitos prejuízos nas células ciliadas do ouvido, veja algumas dicas:
• Use protetores auditivos quando estiver em lugares com ruídos intensos;
• Evite lugares barulhentos;
• Evite ouvir músicas no carro ou fones com volume muito alto;
• Feche as janelas do veículo em trânsito intenso;
• Respeite limites e horários para utilização de sons;
• Fique longe das caixas de sons em shows e eventos;
• Evite que crianças brinquem com objetos sonoros;
• Dê preferência a equipamentos silenciosos;
• Obtenha informações sobre a acústica de ambientes em projetos arquitetônicos.

Veja se você é uma vítima dos ruídos:
• Fica exposto a sons muito intensos sem usar protetor auditivo;
• Escuta as pessoas, mas não entende o que falam;
• Sua família reclama que ouve TV muito alto;
• Escuta um zunido, parecendo grilo, quando está em ambiente silencioso;
• Dificuldade de localização sonora;
• Não suporta lugares com som “alto” ou com pessoas falando;
• Dificuldade de dormir depois de exposição sonora intensa;
• Sensação de orelha tapada ou cheia.

Preste atenção nesses sinais. Em caso positivo, procure um otorrinolaringologista para diagnosticar o percentual de perdas auditivas e encaminhar para o tratamento adequado.

Para saber mais sobre o evento acesse o site do INAD: http://www.inadbrasil.org/material_2014/

Por Luana Lemes, da Agência Saúde DF