Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/07/15 às 11h27 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Orçamento e descentralização foram destaque na 9ª Conferência de Saúde do DF

COMPARTILHAR

Financiamento do SUS foi um dos temas pautados

BRASÍLIA (21/7/15) – A abertura oficial da 9ª Conferência de Saúde do Distrito Federal, na noite desta segunda-feira (20), deixou claro quais são as prioridades imediatas para a área na capital federal: mais recursos e a descentralização da gestão. Os temas foram citados pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, e pelo secretário de Saúde, João Batista de Sousa.

“Apostamos em uma nova reconfiguração do modelo assistencial e gestão de recursos humanos, tendo como alma mestre a aposta da descentralização como melhor caminho para atuar mais próximo de quem mais precisa da saúde pública”, disse o secretário de Saúde em seu discurso.

Segundo o governador Rollemberg, em breve será apresentada a proposta de descentralização, que deverá contar com a contribuição de sugestões feitas durante a conferência.

O Conselho de Saúde, representado pelo seu presidente Helvecio Ferreira, também apoiou a necessidade de descentralização. “É preciso que haja descentralização na gestão, e que seja estabelecida participação popular, incremento da ciência e tecnologia e a integração saúde e educação. Só assim teremos a consolidação do SUS”, disse.

Sobre o orçamento da Saúde, o governador de Brasília considerou que aquele aprovado na Câmara Legislativa no ano passado não corresponde à realidade. “Está aquém das necessidades do custeio da Saúde”, frisou Rollemberg. “Gostaria de fazer um apelo à Câmara Legislativa e tenho certeza que ela atenderá: queremos que parlamentares abram mão de suas emendas para que elas sejam destinadas ao custeio da Saúde, para que não se interrompam os serviços que vêm sendo oferecidos”, completou o governador.

PRÊMIO – Durante a solenidade, o governador Rodrigo Rollemberg assinou decreto instituindo o Prêmio Gestão Participativa da Secretaria de Saúde. “A cada ano, o prêmio fará alusão a uma personalidade que contribuiu para a gestão participativa no DF”, explicou Tiago Coelho, subsecretário de Gestão Participativa da Saúde.

Nesta primeira edição o prêmio leva o nome Elioenai Dornelles Alves, enfermeiro e professor emérito da Universidade de Brasília (UnB). “Infelizmente ele morreu há duas semanas, mas sua trajetória junto à gestão participativa e no controle social nos enobrece. Ele formou muitos dos conselheiros de saúde e também nos honrou ao deixar a filha e o genro como servidores dessa secretaria”, lembrou Tiago Coelho.

DESAFIOS– Rollemberg lembrou os desafios enfrentados pela Secretaria de Saúde desde o início da gestão e agradeceu ao chefe da pasta por ter aceitado enfrenta-los. “Minhas palavras são de agradecimento, em especial, ao João Batista, pela coragem, espírito público e compromisso com a saúde do DF, por ter aceitado nosso convite para assumir uma secretaria com a rede desabastecida, leitos fechados e mais de R$ 600 milhões em dívidas. Só uma pessoa de coragem aceitaria”, disse.

Depois, apresentou os projetos que deverão ser prioridade para a pasta, em consonância com o discurso de João Batista de Sousa. “O DF tem a menor cobertura de atenção primária do Brasil e que é preciso reverter essa situação. Temos de aumentar a cobertura para evitar que muitas pessoas que poderiam ter problemas resolvidos perto casa tenham de procurar um hospital”, destacou o governador.

“Nosso objetivo maior é garantir acesso universal com equidade de todos os segmentos sociais e uma rede de atenção integral à saúde, com ênfase na ampliação da cobertura da atenção primária e da atenção especializada, promoção à saúde, na prevenção de fatores que levam ao adoecimento e na educação em saúde para a população”, frisou o secretário de Saúde.

CONFERÊNCIA – A 9ª Conferência de Saúde do Distrito Federal teve início nesta segunda-feira (20) e vai até o fim do dia desta terça-feira (21), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O evento, aberto ao público, espera receber cerca de 800 pessoas no dos dias, para debater políticas públicas que visam a consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS).

Estão presentes 332 delegados que representam os segmentos usuários, trabalhadores e gestores, eleitos em plenárias locais realizadas, desde março deste ano, em sete macrorregiões do DF. Nesses encontros foram elaboradas 414 propostas, das quais 35 serão escolhidas na conferência do DF como prioritárias para integrar o relatório que será entregue ao governo federal, durante a 15ª Conferência Nacional de Saúde, em dezembro.