Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/02/19 às 16h51 - Atualizado em 26/02/19 às 18h04

Pacientes do Caps Riacho Fundo I confeccionam libélula para Carnaval

 

O Centro de Atenção Psicossocial (Caps) 1 do Riacho Fundo I promoveu, nesta terça-feira (26), uma oficina em que pacientes, familiares e servidores confeccionaram uma libélula de madeira. A peça fará parte dos enfeites da apresentação de Carnaval da unidade. As festividades serão comemoradas por eles na quinta-feira (28), a partir das 9h, com trio elétrico percorrendo o Caps e o Instituto de Saúde Mental (ISM).

 

Na oficina, também foi trabalhado, com os pacientes, a diferença entre alucinação e ilusão. Como a libélula, psicologicamente, é usada como representante da ilusão, a imagem do inseto foi escolhida para ser um dos enfeites do Carnaval do Caps 1 do Riacho Fundo I. Além disso, foi usada ainda como referência para discutir Educação Ambiental, porque o inseto põe os ovos na água e suas larvas se alimentam das larvas do mosquito Aedes aegypti.

 

SOCIALIZAÇÃO – De acordo com a gerente do Caps 1, Lívia Andrade, o objetivo da oficina foi trabalhar aspectos relacionados à psicoeducação, bem como a socialização dos pacientes, pois alguns usuários do centro citam que a alucinação perturba a vida psíquica junto aos familiares que convivem com eles.

 

“Na oficina apresentamos, ainda, um vídeo falando sobre a libélula e sua capacidade de criar ilusão, tanto pelo movimento leve e rápido, bem como por sua capacidade de se adaptar com rapidez a novas situações”, destaca Andrade.

 

Após o vídeo, os participantes debateram sobre como vivenciam situações de ilusão e de alucinação, e como eles podem ajudar uns aos outros, bem como seus familiares, para ter o entendimento completo da crise psicótica.

 

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Foto: Divulgação/Saúde-DF