Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/02/15 às 10h03 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Pacientes que se automedicam podem agravar estado de saúde

COMPARTILHAR

Orientação é buscar prescrição médica

BRASÍLIA (10/2/14) – O consumo de medicamentos sem prescrição médica ou orientação profissional pode ser muito prejudicial à saúde. Conhecida como automedicação, essa prática pode causar desde uma simples dor de cabeça, manchas na pele, problemas hepáticos e oferecer até risco de morte.

A farmacêutica da Diretoria de Assistência Farmacêutica da Secretaria de Saúde do DF, Isis Andrade, alerta que esse tipo de atitude oferece muitos riscos. “A diferença entre o veneno e o medicamento é a dosagem. Ou seja, o medicamento só é benéfico na quantidade certa”, disse a profissional ao lembrar que o ideal é não dispensar a prescrição médica.

“Com a automedicação, em alguns casos, pode-se mascarar uma doença grave e, quando se trata de antibióticos, o uso indevido pode tornar as bactérias mais resistentes e mais difíceis de serem tratadas, o que agrava a doença”, destacou a farmacêutica.

Um caso exemplificado está relacionado à dor de estômago, situação em que as pessoas costumam tomar remédios que aliviam o sintoma e deixam de ir ao médico. “Essa pessoa pode ter uma úlcera e não sabe”, finalizou Isis.