Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/04/15 às 13h54 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Pediatras em função administrativa retornarão ao atendimento clínico

Portaria com determinação foi publicada nesta segunda-feira (24) e atingirá 31 profissionais

BRASÍLIA (24/4/15) – Pediatras lotados em cargos de chefia ou funções administrativas na sede da Secretaria de Saúde terão que cumprir parte da carga horária em atendimento clínico. A determinação do titular da pasta, João Batista de Sousa, foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta segunda-feira (27), na Portaria nº 68, que prevê a dedicação de 12 horas e 24 horas semanais em unidades de saúde, para quem cumpre as cargas horárias semanais de 20 e 40 horas, respectivamente.

 

Com a portaria, que tem validade a partir de hoje (27) até o fim de julho, 31 profissionais serão designados de imediato para trabalhar nas emergências dos hospitais de Sobradinho, Taguatinga, Materno Infantil e Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Núcleo Bandeirante. Os profissionais representarão o reforço de 624 horas a mais de atendimento por semana nas emergências. Em algumas unidades, o reforço pode corresponder a 20% da carga horária feita pelo contingente de recursos humanos já existentes no local.

 

“A convocação desses médicos é mais uma ação para fortalecer o atendimento na pediatria. O setor enfrenta uma crise por causa do surto de bronquiolite, que está afetando muitas crianças e aumentou a demanda nas emergências e áreas de internação. Com isso, precisamos reforçar o atendimento com mais profissionais, minimizando também a carga de trabalho para os profissionais que já estão atuando na ponta”, destacou o secretário de Saúde.

 

Sousa lembrou que, na semana passada, a Saúde já havia nomeado 30 pediatras aprovados em concurso público, além de 44 enfermeiros e 131 técnicos, que reforçarão o atendimento em emergência de hospitais como Taguatinga, Gama e Ceilândia.

 

A definição dos locais de atuação dos servidores que retornarão ao atendimento clínico dependerá, prioritariamente, da necessidade do serviço em cada unidade e, secundariamente, a secretaria adequará as lotações dos médicos, de acordo com a proximidade entre o local de trabalho e residência do profissional. Os pediatras poderão, ainda, requerer o benefício da insalubridade proporcional ao período e horas trabalhadas na assistência.

 

OUTRAS AÇÕES – Em abril, além da nomeação dos 30 pediatras concursados e a convocação dos 31 médicos para atuar nas emergências, a Secretaria de Saúde também alterou a escala de pediatria nos hospitais regionais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Com isso, os médicos foram concentrados em algumas unidades, elevando a efetividade do serviço.

 

A escala será feita até que os novos profissionais nomeados entrem em exercício. Por isso, a mudança deve durar até o início de maio.

 

Atualmente, a rede pública de saúde do DF conta com 560 pediatras, sem contar com os novos contratados. Deste total, cerca de 460 estão efetivamente trabalhando. O restante está com restrições como licença maternidade, licença prêmio ou atestado médico.