Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/08/15 às 18h13 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Plano de enfrentamento à resistência bacteriana está com 70% das ações em andamento

Balanço foi apresentado aos coordenadores de UTI durante debate sobre combate à proliferação de bactérias

BRASÍLIA (12/8/15) – Após dois meses do anúncio do Plano de Enfrentamento da Resistência Bacteriana, a coordenadora de Infectologia da Secretaria de Saúde, Maria de Lourdes Lopes, se reuniu nesta terça-feira (11), com todos os coordenadores de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) da rede para anunciar as principais medidas implementadas e debater estratégias de combate à proliferação de bactérias.

Dentre as ações, a coordenadora destacou a Portaria nº 200, publicada em 7 de agosto de 2015, que recomenda pelo menos um farmacêutico clínico em cada hospital da rede. “Conseguimos 12 farmacêuticos para atuar em conjunto com os médicos, enfermeiros e técnicos, o que vai ajudar muito na utilização racional de antibióticos”, explicou.

Outras medidas que também se tornaram possíveis após a implantação do plano foram maior rapidez no diagnóstico, implantação de antifungigrama (teste utilizado para detecção de fungos e bactérias), agrupamento de pacientes colonizados, além da padronização na rede do medicamento Vancocinemia.

ANDAMENTO – Das 68 ações previstas no Plano de Enfrentamento, 10% já foram executadas e outras 70% encontram-se em andamento, como por exemplo, a substituição de luvas talcadas por não talcadas.

“Geralmente, após o uso da luva talcada, os profissionais lavam as mãos para tirar o talco e esquecem de passar álcool, o que é essencial para a higienização completa. Por isso, solicitamos a troca, que está em processo de compra”, afirmou. De acordo com Maria de Lourdes, sempre é necessário estabelecer padrões de higienização das mãos.

Em setembro, serão realizados workshops com todos os profissionais que trabalham nas UTIs de toda a rede para capacitá-los em relação à política de enfrentamento às bactérias. “É necessário capacitar nosso componente médico, porque é ele quem cuida dos pacientes e pode prevenir a proliferação de bactérias. Nesses workshops também serão discutidas medidas para o uso racional de antibióticos”, enfatizou Maria de Lourdes.

PLANO – Lançado em 9 de junho, o Plano de Enfrentamento da Resistência Bacteriana, nesse primeiro momento, prioriza as Unidades de Terapia Intensiva Adulto, Pediátrica e Neonatal, locais onde o impacto e a frequência de bactérias multirresistentes são maiores.

O plano,? elaborado por uma equipe composta pelos melhores profissionais da Saúde do Governo de Brasília?, tem duas partes essenciais: o diagnóstico da situação?,? e o plano em si, que tem três premissas. São elas? a? garantia de fornecimento de antimicrobianos de forma sustentada; garantia de fornecimento de insumos para limpeza e desinfecção das superfícies e materiais; e incorporação de farmacêutico na equipe multidisciplinar das áreas críticas?.

Na prática, o plano pretende aumentar a fiscalização dos procedimentos de segurança já adotados dentro das unidades de saúde pública do DF e garantir que a rede esteja abastecida dos insumos necessários para a aplicação desses procedimentos.